Refugiados Secretaria de Saúde do Recife atende imigrantes venezuelanos nesta terça

Publicado em: 25/02/2019 20:27 Atualizado em: 25/02/2019 21:42

Os serviços de promoção e prevenção à saúde serão ofertados na Casa de Direitos dos Imigrantes, na Unicap. Foto: Antônio Tenório/PCR/Divulgação.
Os serviços de promoção e prevenção à saúde serão ofertados na Casa de Direitos dos Imigrantes, na Unicap. Foto: Antônio Tenório/PCR/Divulgação.
Os cerca de 100 imigrantes venezuelanos que estão no Recife desde dezembro do ano passado serão beneficiados, nesta terça-feira (26), com uma ação de saúde promovida pela Secretaria de Saúde do Recife. Desde que chegaram à cidade, os imigrantes haviam passado por acolhimento para ter direito ao cartão do Sistema Único de Saúde (SUS), facilitando o acesso aos serviços da rede municipal de saúde. Desta vez, serão ofertados vários serviços de saúde, a partir das 9h, na Casa de Direitos dos Imigrantes, localizada na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), no bairro da Boa Vista.

As mais de 30 famílias serão submetidas a acolhimento de enfermagem, odontológico e consulta médica, se houver necessidade, e farão aferição de pressão arterial e teste de glicose. No local, também haverá uma equipe realizando testagem rápida para HIV, sífilis e hepatites B e C. O resultado desses testes ficará pronto em até 30 minutos. Após o resultado, as pessoas passarão por aconselhamento de um profissional, com orientações sobre como prevenir as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Quem tiver resultado positivo será encaminhado para tratamento na rede.

Haverá ainda distribuição de preservativos masculinos e femininos, além de lubrificantes. Os estrangeiros também receberão kits para higiene bucal, com creme dental e escovas. Além disso, os profissionais do Distrito Sanitário I darão orientações sobre prevenção de outras doenças, como hanseníase, tuberculose, doenças transmitidas por água não tratada e arboviroses - dengue, chikungunya e zika.

As equipes de Vigilância Ambiental do Recife também fizeram a desratização das casas e também avaliaram a qualidade da água nas residências dos venezuelanos. Pelo local onde estão morando os mais de 100 imigrantes, eles podem ser atendidos na Policlínica Waldemar de Oliveira, em Santo Amaro, na Policlínica Gouveia de Barros, na Boa Vista, e na Unidade de Saúde da Família Ponto de Parada, no Arruda.

Para prevenir o surgimento de focos do mosquito Aedes aegypti, a Vigilância Ambiental também fez inspeção para verificar os reservatórios d'água abertos e ralos com água parada. As equipes distribuíram repelentes e panfletos educativos sobre o combate ao mosquito, além de hipoclorito de sódio para higiene dos alimentos. Os imigrantes também foram orientados a colocar água sanitária ou cloro nos ralos, duas vezes por semana, além de providenciar duas capas para as caixas d'água que estavam destampadas.

Projeto Pana

Os imigrantes que fugiram da crise na Venezuela estão morando em 12 apartamentos e casas nos bairros de Santo Amaro, Boa Vista, Coelhos, Encruzilhada e Torreão. A ONG Cáritas Brasileira/CNBB (Regional Nordeste 2) é responsável pela estadia, alimentação, apoio jurídico, psicossocial e outras necessidades das famílias que chegaram ao Recife no dia 17 de dezembro através do Projeto Pana, que obteve financiamento do Departamento de Estado dos Estados Unidos.

Além de garantir o acesso aos serviços de saúde, a Prefeitura do Recife contribui com o encaminhamento para inclusão em programas sociais através da equipe do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) da Campina do Barreto, viabilização de matrícula escolar na rede de ensino municipal, inserção em cursos e no mercado de trabalho, entre outros. A gestão municipal participou de todo o processo de discussão e planejamento do atendimento aos imigrantes que chegaram à capital pernambucana em situação de vulnerabilidade social.

A Secretaria de Educação do Recife providenciou a matrícula de 29 estudantes de 6 a 16 anos nas escolas, creches e creches-escolas municipais. Já os profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos do Recife (SDSJPDDH) fizeram atualização e inscrição de cerca de 50 venezuelanos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, para que eles possam ter acesso a programas como o Bolsa Família.




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.