Educação Ganhe o Mundo Esportivo: paratletas e professores de educação física serão contemplados

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 25/02/2019 15:01 Atualizado em: 25/02/2019 17:17

Os 25 selecionados para viajar em 2019 pelo programa foram recebidos no Palácio do Campo das Princesas. Foto: Mandy Oliver/Esp.DP.
Os 25 selecionados para viajar em 2019 pelo programa foram recebidos no Palácio do Campo das Princesas. Foto: Mandy Oliver/Esp.DP.
Paratletas e professores de educação física passarão a ser contemplados com o programa Ganhe o Mundo Esportivo, que envia pernambucanos para estudar no exterior. O próximo edital do PGME, que será divulgado até novembro deste ano, terá bolsas disponíveis para os paratletas. Em até quatro anos, serão incluídos os professores de educação física da rede estadual de ensino. As novidades foram anunciadas na manhã desta segunda-feira (25), quando os 25 selecionados para viajar em 2019 pelo programa foram recebidos no Palácio do Campo das Princesas. Neste ano, pela primeira vez, Pernambuco enviará atletas para intercâmbio também nos Estados Unidos, além do Canadá

Lançada em 2015, como uma modalidade do Programa Ganhe o Mundo, a edição esportiva do programa de intercâmbio da rede pública estadual já enviou para fora do país 76 estudantes. Em 2019, serão mais 25. Sendo que serão acrescentadas duas cidades diferentes, Exu e Iguaraci, além de mais uma modalidade contemplada, o tênis de mesa. Para a seleção, são considerados o desempenho escolar e profissional dos atletas, incluindo os resultados esportivos dos últimos 12 meses, títulos nos Jogos Escolares estaduais e a inserção em programas de bolsa, como o Bolsa atleta

“O programa é uma oportunidade de aprender um novo idioma, estar inserido em uma nova cultura e se aperfeiçoar na modalidade esportiva que o aluno desempenha. Sabemos que o esporte é um atrativo de inserção dos estudantes na comunidade escolar. Cabe a nós dar as condições para que eles possam alcançar os sonhos de se tornarem grandes atletas”, afirmou o governador Paulo Câmara. De acordo com o secretário de Educação e Esportes, Fred Amâncio, ainda não foi definido quantas vagas serão destinadas aos paratletas, mas está garantida a inclusão deles no próximo edital. Sobre os professores, a ideia é oferecer subsídios para que eles possam identificar mais cedo e melhor potenciais atletas em Pernambucano. Porém, ainda não há uma data para lançamento de seletiva para os docentes.

Os 25 estudantes que embarcam em 2019 serão divididos em dois grupos. Os 12 de atletismo viajarão aos Estados Unidos. “A gente tinha feito a opção inicial por enviar estudantes ao Canadá, em função de o país ter tradição por receber bem os estudantes pernambucanos. Como também temos boas relações com os Estados Unidos, agora expandimos para lá. É um país que tem uma tradição nos esportes e grandes centros esportivos de altíssima qualidade”, acrescentou Fred Amâncio. Os embarques acontecerão no segundo semestre, em data a ser definida.

O atletismo entrou na vida de Francisca Camila Silva, 14 anos, por acaso. De última hora, o professor da escola municipal na qual estudava inscreveu a menina para as provas de 250 metros e salto em altura. Sem nunca haver treinado antes, Francisca Camila venceu os colegas. Desde então, não parou diante das medalhas. É bicampeã pernambucana e disputou brasileiro duas vezes, ficando em quarto lugar, no ano passado, nas duas provas. Filha de uma família de cinco irmãos, a garota vive em Exu, cidade do Sertão pernambucano, e divide a rotina de estudos com os treinos.

“Acordo pela manhã, ajudo minha mãe, depois vou para a escola. Na segunda-feira é integral. Nos outros dias, vou para a academia quando saio da escola. Depois, para o treino. Quando comecei a ‘medalhar’, fui me dedicando cada vez mais”, diz ela. O atletismo já trouxe algumas viagens pelo Brasil para Francisca Camila, que já esboçou para a mãe o que deseja. “Eu disse a ela que quero ser atleta. Ser profissional, viajar para vários países. Minha mãe ficou preocupada, mas eu disse que era meu sonho, para ajudar a tirar ela do aperto. Então, ela disse que para atingir esse sonho eu tinha que me dedicar”, afirmou. Francisca Camila ficou surpresa com a seleção para o PGME. “Não pensava que ia passar. Estou nervosa e empolgada. É muita coragem. Agora tenho que estudar inglês e começar a comprar roupas de frio”, conta a aluna da Escola de Referência em Ensino Médio Barão de Exu.

Foi também através de um professor que Leandro Santos Filho, 15, entrou no atletismo. Até então, o menino baixinho e gordinho, segundo ele, costumava brincar de arremessar discos com os colegas da escola. “Ele viu um potencial em mim e me chamou para competir. Então tomei gosto e hoje, por mim, treino todo dia se puder. Mudei muito depois do esporte, perdi peso, estiquei, mudei até na disciplina”, afirmou Leandro, que tem o recorde Norte e Nordeste sub-16 de arremesso de disco.

Todos os dias, Leandro acorda às 4h para ir à academia com o pai. Ao regressar, vai para a escola e, logo depois, para os treinos. A dedicação rendeu mais de 15 medalhas nos últimos dois anos. Por onde passa, a família agora sai dizendo em Petrolina, onde vivem, que o garoto viajará ao exterior. “Meu pai trabalha em duas empresas, começou a trabalhar desde cedo. Aprendi com ele a ser dedicado. Minha mãe é manicure, faz tudo. Meu professor disse que meus primos eram bons em atletismo, mas os meus tios não deixavam eles viajarem. Serei o primeiro da família a me transformar realmente em atleta. Por isso, meus pais estão orgulhosos e dizem para todo mundo”, diz ele, que se parar agora para ser atleta de decatlo. A meta de Leandro é a mesma de Francisca: ajudar a família. 

Ganhe ao mundo esportivo 2019

25 atletas
8 modalidades
13 cidades
1 modalidade nova: tênis de mesa
2 cidades novas: Exu e Iguaraci
2 destinos: Canadá e Estados Unidos

Evolução dos contemplados
2015 11
2016 20
2017 20
2018 25
2019 25

PGME 2019 por modalidade
12 atletismo
3 karatê
3 natação
2 luta olímpica
2 ciclismo
1 judô
1 badminton
1 tênis de mesa
 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.