Cátedra Professores pernambucanos poderão participar de formação gratuita da USP

Por: Anamaria Nascimento

Publicado em: 24/02/2019 10:50 Atualizado em: 24/02/2019 12:34

Cátedra vai propor ações que levem à melhoria das condições de ensino nas escolas de ensino básico. Foto: Andréa Rêgo Barros/Divulgação.
Cátedra vai propor ações que levem à melhoria das condições de ensino nas escolas de ensino básico. Foto: Andréa Rêgo Barros/Divulgação.
Professores pernambucanos poderão participar, pela internet, de formações gratuitas da Universidade de São Paulo (USP). Nessa quinta-feira (21), a principal instituição de ensino superior do país lançou a Cátedra de Educação Básica, que terá duração de cinco anos e trabalhará na formação de docentes de todo o país. Para o primeiro semestre de atividades, estão previstas três palestras, que vão acontecer de março a maio deste ano. O evento gratuito será em São Paulo, mas pode ser acompanhado por profissionais de todo o país pela internet.

O primeiro seminário está programado para acontecer no dia 16 de março, das 9h às 18h, e terá como tema “Professor: profissionalismo e competência”. O evento acontece no auditório do Instituto de Estudos Avançados (IEA-USP), na Cidade Universitária de São Paulo, mas pode ser assistido pela internet pelo site do IEA. Além de verem todo o conteúdo, os professores de outros estados poderão fazer perguntas e interagir online. Na modalidade presencial, são 120 vagas. Na internet, não há limite de participações.

Para 13 de abril, está programado o seminário “Ação do professor: planejamento e ação”. Já em 18 de maio, acontece a terceira atividade, com o tema “Formação do professor: experiências inovadoras”. Ambos também acontecem das 9h às 18h. “Optamos por fazer os eventos em sábados, pois o dia permite que o professor participe sem precisar ser liberado pela Secretaria de Educação ou pela escola. Cada seminário terá quatro palestras, sempre com 40 minutos para explanação do assunto e 40 minutos de interação com os participantes”, explicou o coordenador acadêmico da Cátedra de Educação Básica da USP, Nilson Machado.

Cátedra de Educação Básica foi lançada na última quinta-feira em São Paulo. Foto: Cecília Bastos/USP Imagens.
Cátedra de Educação Básica foi lançada na última quinta-feira em São Paulo. Foto: Cecília Bastos/USP Imagens.
A iniciativa conta com a parceria do Itaú Social. Em cinco anos, os recursos da Cátedra somarão R$ 5 milhões, a serem investidos em estudos, formulação de políticas de formação e valorização dos professores. Um dos objetivos é identificar os desafios e avanços nas redes públicas de ensino, entre eles as experiências de implantação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “Nossa expectativa é aproximar pesquisadores e profissionais que estão no dia a dia de escolas e redes educacionais. Juntos, mobilizando diferentes áreas do conhecimento e articulando teoria e prática, há mais facilidade para encontrar soluções para lidar com a complexidade inerente à educação de crianças, adolescentes e jovens”, destacou a superintendente do Itaú Social, Angela Dannemann.

Para a criação da Cátedra de Educação Básica, o Grupo de Estudos sobre Educação, do IEA-USP, mapeou as questões mais relevantes no cenário da crise educacional do país. Durante um ano e meio, foram realizados cinco seminários, reunindo pesquisadores, educadores e gestores de escolas públicas. Eles analisaram a situação do magistério, a qualidade da educação, o uso das tecnologias em sala de aula, o papel dos documentos oficiais e experiências inovadoras no ensino básico. “A Cátedra tem uma importância e um destaque grande para a USP, mas a ideia é ter lócus de discussões e debates com diferentes visões. Tanto que ela é formada por pessoas da universidade e de fora dela. Os participantes terão a oportunidade de debater os assuntos de maneira ampla”, ressaltou o reitor da USP, Vahan Agopyan.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.