Violência Adolescentes apreendidos por assassinar dois homens no Pina

Publicado em: 19/02/2019 11:43 Atualizado em: 19/02/2019 11:48

Delegados Paulo Gustavo Gondim e Elielton Xavier apresentaram o caso. Crédito: Polícia Civil
Delegados Paulo Gustavo Gondim e Elielton Xavier apresentaram o caso. Crédito: Polícia Civil

Três adolescentes foram apreendidos por prática de atos infracionais análogos aos crimes de homicídio qualificado, depois de matar dois homens que haviam reclamado do consumo de drogas deles na comunidade onde viviam. Os crimes ocorreram entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019, no bairro do Pina. Os adolescentes, dois de 15 anos e um de 12 anos, foram apreendidos na última segunda-feira (15), nas proximidades do Shopping RioMar e em Brasília Teimosa, em cumprimento à ordem de busca e apreensão. 

Um dos adolescentes de 15 anos confessou ter matado José Ricardo da Silva, 44 anos, na tarde do dia 11 de dezembro. De acordo com a Polícia Civil, o caso aconteceu na Rua Manoel de Brito. Ele estava acompanhado dos outros dois adolescentes, fumando maconha em um beco da comunidade Beira Rio, no Pina. A vítima teria saído para reclamar do consumo de entorpecentes na localidade e ameaçou chamar a polícia. "Nesse momento, os três acordaram que iriam matar a vítima. Dois deles saíram, pegaram uma arma de fogo e retornaram. O adolescente de 15 anos, então, efetuou vários disparos nas costas da vítima", detalhou o delegado titular da 3ª Delegacia de Polícia da Capital, Elielton Xavier.

No dia 20 de janeiro, os adolescentes voltaram a praticar o ato infracional depois de receber novas reclamações da vizinhança sobre o consumo de drogas. A vítima foi Paulo Alberto Gonçalves Silva, 68 anos, que foi morto na Rua Barão de Santo Ângelo, no Pina. Desse caso, participaram o adolescente de 12 anos e um dos outros de 15 anos. Segundo a polícia, o idoso foi atingido por tiros no tórax e no rosto, depois de reclamar com um dos jovens, que estava usando a droga na caçamba do carro dele. Em depoimento, os rapazes confessaram o crime.

"O de 12 anos não gostou da reclamação e chamou o amigo mais velho. Eles pegaram uma arma e cada um atirou de uma vez. Foram dois homicídios banais, só por causa de reclamações. Toda a população da região tinha medo de falar com eles, pois não sabia o que seria motivo suficiente para morrer", afirmou o delegado. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.