Programa Sanar Cerca de mil recifenses participam de mutirão de exames de hanseníase Cerca de 50 unidades de saúde do Recife atendem pessoas que tiveram contato com quem teve a doença nos últimos cinco anos

Publicado em: 18/02/2019 14:34 Atualizado em: 18/02/2019 14:45

O tratamento da hanseníase é feito com antibióticos e dura de 6 a 12 meses. Foto: Teresa Maia/DP.
O tratamento da hanseníase é feito com antibióticos e dura de 6 a 12 meses. Foto: Teresa Maia/DP.
Teve início nesta segunda-feira (18) um mutirão de exames de hanseníase para pessoas que tiveram contato com quem teve a doença nos últimos cinco anos. A campanha coordenada pela equipe do Programa Sanar Recife acontece em cerca de 50 unidades municipais de saúde até a sexta-feira (22). O objetivo é que um total de cinco mil pessoas sejam atendidas até junho.

Atendida na Policlínica Waldemar de Oliveira, em Santo Amaro, a dona de casa Maria José Pedro Francisco, 58, moradora do Alto do Pascoal, fez os exames, pois a filha já teve a doença. "Ela tratou e ficou boa. Por via das dúvidas, sempre faço acompanhamento", disse.

"É muito importante que quem convive ou conviveu com pessoas diagnosticadas com hanseníase procure a unidade de saúde para serem examinadas anualmente por pelo menos cinco anos consecutivos. Com o diagnóstico precoce, conseguimos quebrar a cadeia de transmissão", explicou a coordenadora do Sanar Recife, Ariane Bezerra.

A partir dos dados de quem teve a doença, a Secretaria de Saúde do Recife está intensificando a busca ativa pelas pessoas que podem ter se contaminado, mas quem tiver casos de hanseníase na família também pode procurar diretamente a unidade de saúde mais próxima para fazer o exame dermatoneurológico, que consiste numa avaliação clínica. O Ministério da Saúde sugere o acompanhamento dos familiares dos doentes através do exame clínico realizado anualmente, durante cinco anos.

Doença

A hanseníase é uma doença infecciosa, crônica, de grande importância para a saúde pública devido à sua magnitude e seu alto poder incapacitante, atingindo principalmente a faixa etária economicamente ativa. Os principais sintomas são manchas, dormência e falta de sensibilidade nas extremidades do corpo.

O tratamento com antibióticos dura de 6 a 12 meses e só é ofertado no Sistema Único de Saúde (SUS). Todas as unidades de saúde da família do Recife realizam tratamento da doença. Uma vez tratado, o usuário não transmite a doença. Em casos mais graves, o usuário pode ser encaminhado para um dermatologista hansenólogo.





Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.