Revolta Movimentos articulam protesto em frente a Supermercado no Recife A manifestação é devido a morte de um rapaz, na última quinta (14), causada por um "mata-leão" desferido pelo segurança do estabelecimento

Publicado em: 16/02/2019 11:39 Atualizado em: 16/02/2019 13:09

Foto: Reprodução/ Youtube
Foto: Reprodução/ Youtube
Na última quinta-feira (14), Pedro Henrique Gonzaga, de apenas 19 anos, foi assassinado por Davi Ricardo Moreira, segurança do supermercado Extra, localizado na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio de Janeiro. No Recife, coletivos e movimentos sociais realizam neste sábado (16) um protesto no Extra, localizado no Benfica, às 12h, para reafirmar a resistência e luta por igualdade racial e pelo fim do genocídio da população negra.

A cena do rapaz recebendo um %u201Cmata-leão%u201D do segurança viralizou na internet, levantando debates e revolta entre os internautas, uma delas a Paola Carossella, chef e jurada do Masterchef Brasil, realizou uma postagem no Twitter destacando que a morte do jovem negro causou menos indignação entre a população que a morte do cachorro no Carrefour, enfatizando um caso de racismo estrutural. 




Em nota, o Extra afirmou que a ação do segurança foi em detrimento de uma tentativa de furto da arma do agente, mas que o profissional já está afastado das atividades e reafirmou que o hipermercado repudia qualquer tipo de violência em suas lojas.

De acordo com delegado responsável pelo caso, Cassiano Conte, o segurança, "se excedeu na legítima defesa". Contudo, Davi Ricardo prestou depoimento, pagou R mil de fiança e foi liberado. Pedro Henrique deixou um filho e será enterrado neste sábado (16).

Em depoimento à polícia, a mãe da vítima  afirmou que o filho era viciado em drogas e que iria para uma clínica de reabilitação após a saída do supermercado. Ela disse ainda que estava com uma amiga e o filho no caixa quando o rapaz saiu e ela viu que ele caiu na porta do estabelecimento. Ela disse que foi até o local para tentar levantá-lo e avisou que o filho estava sob efeito de drogas porque era usuário.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.