Solidariedade Campanha arrecada R$ 34 mil em doações para o Hospital do Câncer de Pernambuco O projeto de reforma do setor de quimioterapia do HCP gira em torno de R$ 600 mil

Publicado em: 13/02/2019 14:58 Atualizado em: 13/02/2019 15:03

Valor arrecadado na iniciativa foi entregue ao HCP. Foto: Peu Ricardo/DP.
Valor arrecadado na iniciativa foi entregue ao HCP. Foto: Peu Ricardo/DP.
O Hospital do Câncer de Pernambuco (HCP), instituição filantrópica sem fins lucrativos, recebeu uma doação de R$ 34 mil da rede de supermercados Arco-Mix, que devem ser investidos na requalificação do setor de quimioterapia da unidade de saúde. Os recursos foram arrecadados através da campanha Troco Solidário, promovida nas 19 lojas da rede Arco-Mix, em que os clientes podem doar o troco das compras numa espécie de caixinha de Natal. Essa já é a terceira entrega da rede de supermercados ao Hospital do Câncer de Pernambuco através dessa campanha. O projeto de reforma do setor de quimioterapia do HCP gira em torno de R$ 600 mil.

Segundo o diretor atacadista do Arco-Mix, José Guilherme, esses R$ 34 mil são referentes ao que foi arrecadado na campanha no mês passado. Em janeiro, a rede de supermercados doou R$ 36 mil, que representou o apurado do mês de dezembro. Em dezembro de 2018, o grupo varejista entregou R$ 6 mil, referente ao arrecadado em novembro do ano passado, quando teve início o Troco Solidário. “Houve um aumento expressivo no número de clientes que aderiram à campanha em nossas lojas. Mas eu credito o sucesso às nossas operadoras e operadores de caixa, pois são eles que fazem o trabalho de formiguinha, convencendo os clientes a doarem pequenas e grandes quantias a essa instituição que faz um trabalho tão nobre”, frisou José Guilherme.

O Hospital do Câncer de Pernambuco é 100% Sistema Único de Saúde (SUS) mas, como o câncer é uma doença cara, a instituição precisa suprir o deficit com campanhas e doações. A operadora de caixa da rede Arco-Mix, Tainá Gomes, que trabalha na loja da Várzea, disse que, além de fazer o bem, a morte de um parente vítima dessa doença, ano passado, a motivou a se engajar na causa. “Meu primo faleceu há cinco meses de um tumor no cérebro. E quando ele descobriu, o câncer já estava em estágio avançado. Sempre tento convencer os clientes que essa causa merece e precisa de atenção”, declarou a funcionária.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.