TRANSPORTE Frente de Luta pelo Transporte Público apresenta pedido de informação sobre os créditos do VEM

Publicado em: 07/02/2019 17:23 Atualizado em: 07/02/2019 18:50

Grupo fez ato de panfletagem e diálogo na frente do Posto do Vem, na Soledade. Foto: Divulgação
Grupo fez ato de panfletagem e diálogo na frente do Posto do Vem, na Soledade. Foto: Divulgação
A Frente de Luta pelo Transporte Público de Pernambuco, por meio dos seus coordenadores e conselheiros, Pedro Josephi e Márcio Morais, apresentou, nesta quinta (7), um pedido de informação ao Governo do Estado para saber quanto se arrecada com os créditos expirados do Vale Eletrônico Metropolitano (VEM), qual a destinação deles e se as empresas de ônibus têm acesso à verba. Eles se dirigiram à Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação onde entregaram um pedido de informações a este respeito, protocolado na Ouvidoria Geral do Estado de Pernambuco. O prazo previsto de resposta pela Lei de Acesso à Informação é de 20 dias. No final da tarde, a Frente também realizou um ato no posto do VEM, na Rua da Soledade, com cartaz, carro de som e panfletos a fim de dialogar com a população sobre o tema, além de outros como a implementação da tarifa única, promessa do governador Paulo Câmara. 

O documento traz os seguintes questionamentos: o arrecadado de 2014 a 2018 no que se refere aos créditos expirados do cartão VEM; informações sobre o órgão responsável por receber e gerenciar esta verba; quanto desta verba é e foi destinada para permissionárias e concessionárias do STTP/RMR; se o valor arrecadado relativo a estes créditos foi incluído nos cálculos de reajuste da tarifa entre os anos de 2014 e 2017; qual o percentual e valor aportado. Pedro Josephi, conselheiro do grupo, afirma o pedido foi enviado em virtude da ausência de informações oficiais em relação ao que se arrecada com estes créditos expirados, bem como sua destinação. “É algo sem controle social ou transparência. Somos, na verdade, contra o prazo de validade, de modo geral. Quando se é funcionário de uma empresa, e seu cartão é recarregado, isto faz parte do seu salário, então você não pode perder esse crédito. Trata-se, a nosso ver, de confisco”, afirma.

Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação informou que ainda não foi notificada e que se pronunciará apenas após a notificação.

A Frente de Luta protesta, ainda, contra a cobrança de taxa pelo carregamento do cartão nos postos e questiona a operação dos ônibus sem cobradores, de maneira que o usuário fica impossibilitado de fazer o pagamento da passagem em dinheiro. “Solicitaremos que estes temas sejam discutidos no encontro do Conselho Superior de Transporte Metropolitano, na próxima terça (12), às 9h, na Secretaria das Cidades, onde vai acontecer uma discussão sobre aumento das tarifas”, conclui.

Sobre todas estas questões, a Urbana-PE, Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros no Estado de Pernambuco, também informou que não irá se posicionar no momento, apenas após a reunião marcada para o dia 12.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.