Educação Reeducando de Petrolina que fez Enem vai cursar matemática na Univasf Mais de mil presos fizeram o exame em 2018

Publicado em: 06/02/2019 11:48 Atualizado em: 06/02/2019 12:03

O Enem para privados de liberdade é aplicado anualmente. Foto: Juliana Leitao/DP.
O Enem para privados de liberdade é aplicado anualmente. Foto: Juliana Leitao/DP.
Dos 1.013 reeducandos que se inscreveram em Pernambuco no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 para pessoas privadas de liberdade, 312 concorreram a vagas em universidades. O dado é da Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), vinculada à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH). 

A maior nota do estado veio da Penitenciária Doutor Edvaldo Gomes (PDEG), em Petrolina, Sertão pernambucano. O reeducando Kleber de Souza Marçal tirou 683,2 e se inscreveu pelo Sistema de Seleção Unificad (Sisu). Ele vai cursar matemática na Universidade do Vale do São Francisco (Univasf).

Segundo a Seres, o número de inscritos no Enem teve um aumento de 20% no estado em relação a 2017, quando foram registradas 869 inscrições de pessoas privadas de liberdade.

Kleber se preparou para o exame por quatro meses na Escola Estadual Bento XVI,  que funciona dentro da penitenciária "Iniciei um curso de engenharia, mas não conclui. Agora, pretendo seguir na área da matemática e me tornar professor", afirma.

Ele vai estudar monitorado com tornozeleira eletrônica e, diariamente, após as aulas, retorna para a unidade, assim como outros reeducandos do regime semiaberto que fazem curso superior e cumprem pena na mesma penitenciária.

O supervisor pedagógico da Doutor Edvaldo Gomes, Nysley Oliveira, destacou que o reeducando que recebeu destaque no Enem para privados de liberdade é muito interessado pelos estudos. "Ele participa do Programa de Remição de Pena pela Leitura, desenvolvido pela Seres, e tem um bom rendimento. Além disso, trabalha fora da unidade", ressalta.

O segundo e terceiro lugares no Enem para privados de liberdade ficaram 
respectivamente com James Anderson do Nascimento, do Presídio de Igarassu, que obteve nota 663,8; e Josiel Pedro da Silva Ferreira, do Presídio Juiz Antônio Luís Lins de Barros (Pjalb), com 619,4. As duas unidades ficam na Região Metropolitana do Recife. 

Enem PPL

Ao contrário do Enem regular, 89% dos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL) são do gênero masculino e apenas 11%, do feminino. Quanto à idade, aqueles entre 21 e 30 anos são maioria. Essa faixa etária representa 47% dos inscritos. Aqueles com mais de 30 anos são 40%.  Privados de liberdade com idade igual a 18, igual a 19 e igual a 20 anos representam, cada, 3% dos inscritos.

No ano passado, as provas aconteceram nos dias 11 e 12 de dezembro. "Formas de organização da sociedade para o enfrentamento de problemas econômicos no Brasil" foi o tema da redação do Enem PPL 2018.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.