Gestão Educação e pesquisa serão prioridade para a nova presidência da Fundaj A posse ocorreu ontem no Cinema do Museu, no bairro de Casa Forte

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 29/01/2019 08:42 Atualizado em: 29/01/2019 15:28

Ministro da Educação, Vélez Rodríguez, participou da posse de Alfredo Bertini.
Foto: Léo Malafaia/Esp. DP FOTO. (Ministro da Educação, Vélez Rodríguez, participou da posse de Alfredo Bertini.
Foto: Léo Malafaia/Esp. DP FOTO.)
Ministro da Educação, Vélez Rodríguez, participou da posse de Alfredo Bertini. Foto: Léo Malafaia/Esp. DP FOTO.
As áreas de educação e pesquisa terão prioridade na gestão do economista, pesquisador, professor e produtor cultural Alfredo Bertini, empossado ontem como presidente da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). Ao optar por tais áreas, gestor pretende resgatar o olhar do sociólogo Gilberto Freyre sobre a instituição. A posse ocorreu ontem no Cinema do Museu, em Casa Forte, tendo o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, participado da cerimônia.

“A Fundaj é referência como unidade de pesquisa. Nossos planos de futuro não vão perder de vista a visão histórica que esse passado construiu”, afirmou Alfredo Bertini. Quanto à educação, o presidente empossado afirmou que pretende aperfeiçoar os cursos existentes na Fundaj e criar outros. A fundação oferece cursos de especialização e mestrado. Além disso, a meta é criar cursos de avaliação de políticas públicas e colaborar no debate sobre educação básica, embora não seja papel da fundação, para o país. 

Veléz Rodríguez, que antes da posse se reuniu com o governador Paulo Câmara, ressaltou a importância dos pernambucanos Joaquim Nabuco e Gilberto Freyre, criador da fundação, para a identidade do país. Freyre na condição de pensador da sociologia e Nabuco como um homem de estado. “Eles ajudam a explicar a diversidade que dá ensejo à identidade nacional”, destacou. O ministro também se reuniu com os reitores das universidades Federal de Pernambuco (UFPE), Anísio Brasileiro, e Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Maria José de Sena. 

Os reitores classificaram a reunião como protocolar. O ministro da educação volta a discutir a questão das universidades hoje, quando terá agenda com representantes da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituiões Federais de Ensino Superior (Andifes). “Nossa preocupação é com a autonomia das universidades. Particularmente em relação à UFPE, tocamos no assunto do campus de Goiana e dissemos que ele é uma prioridade no momento”, afirmou Anísio. A questão financeira, ao menos ontem, não entrou na pauta.

Entre as prioridades da UFRPE está o campus de Belo Jardim, no Agreste, e o processo transição deste campus com a Universidade Federal do Agreste Pernambucano (UFAPE), em Garanhuns. Em outubro do ano passado, o presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Reinaldo Centoducatte, expressou a preocupação dos reitores de universidades federais com possíveis retrocessos na educação.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.