Recife Ministro da Educação conheceu Fundaj neste domingo Ricardo Vélez veio a capital para participar de posse de presidente da instituição, amanhã

Publicado em: 27/01/2019 18:53 Atualizado em: 27/01/2019 19:02

Ministro participou do Domingo na Fundaj. Foto:Malu Didier
Ministro participou do Domingo na Fundaj. Foto:Malu Didier
O ministro da Educação, professor Ricardo Vélez Rodríguez, chegou ao Recife hoje para participar da posse do novo presidente da Fundação Joaquim nabuco, Alfredo Bertini, que acontece nesta segunda-feira, às 11h, no Cinema do Museu, em Casa Forte. Ele foi convidado para conhecer o Domingo na Fundaj, realizado hoje no campus Derby.

Veléz conheceu o edifício Ulysses Pernambucano, visitou a exposição Aptidão para Alegria Vem de Berço, montada na sala Vicente do Rego Monteiro, cumprimentou o público das oficinas, experimentou bolo de rolo e ensaiou passos de frevo com integrantes do Turma da Jaqueira Segurando o Talo, bloco formado por servidores da Fundaj.  “Com Gilberto, Nabuco e Bertini para a eternidade”, disse Vélez ao visitar a exposição.

O ministro também sentou e conversou com estudantes de Ensino Médio que participavam do Curso de Formação Jovens Líderes, da Escola de Governo. A agenda do ministro em Pernambuco segue até amanhã. À tarde, após a cerimônia de posse, ele seguirá para o Engenho Massangana, no Cabo de Santo Agostinho, onde Joaquim Nabuco viveu parte de sua infância.

A segunda edição do Domingo na Fundaj teve frevo, maracatu, filmes, contação de histórias, oficinas com cores, glitter e fantasias e máscaras. Além de enfeitar as máscaras, as crianças confeccionaram suas próprias fantasias, aprenderam a fazer instrumentos musicais, participaram da experiência Parangolé, na sala de videoarte Cristina Tavares e, no cinema, assistiram a aventura da fada Sininho, com o filme infantil Tinker Bell - Fadas e Piratas caracterizados com adereços do filme. Na Sala de Leitura Nilo Pereira, o público participou de uma contação de histórias sobre o Carnaval e pôde conferir as fotografias da antropóloga norte-americana Katarina Real, a “gringa abrasileirada” que se especializou em fotografar cultura, folclore e carnaval.

Já no pátio, o público pintou com os pés na oficina de pegadas policromadas e jogou Twister. O Museu do Homem do Nordeste propôs uma experiência diferenciada de conhecer o MUHNE com os óculos de realidade virtual Museu 360º, que levou os olhos do público diretamente para a instituição sem sair do lugar. E na área externa, além da praça de alimentação, o Circo Brincantes ofereceu oficinas de malabares, tecidos, corda bamba e perna de pau, seguido de uma apresentação do bloco Turma da Jaqueira Segurando o Talo.
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.