VISIBILIDADE TRANS Recife recebe a 6ª Semana Nordestina da Visibilidade Trans

Publicado em: 25/01/2019 15:21 Atualizado em: 25/01/2019 18:39

Arte Semana Visibilidade Trans. Arte: Divulgação
Arte Semana Visibilidade Trans. Arte: Divulgação

Enquetes teatrais, falas políticas e apresentações culturais estão na programação da 6ª Semana Nordestina da Visibilidade Trans, que acontece deste domingo (27) a 1 de Fevereiro, no Grande Recife. O evento é realizado pela Articulação e Movimento para Travestis e Transexuais de Pernambuco (Amotrans) com apoio da Secretaria da Mulher de Pernambuco e demais órgãos. As atividades são gratuitas, abertas ao público.

O evento começa no domingo (27) com o Programa César de Alencar (Tributo a Emilinha Borba), às 18h, no teatro Apolo. Na segunda (28), acontecem ações itinerantes (teatro de rua sobre o preconceito e a violência vivida pelas trans) na praça do Derby, na Avenida Agamenon Magalhães, centros de Goiana, Igarassu e Paulista, das 9h às 14h. Na data em que se comemora o Dia da Visibilidade Trans (29)l será realizada uma cerimônia no Memorial Tortura Nunca Mais para entrega do Prêmio Monique Rodrigues. Uma homenagem a pessoas com reconhecido trabalho pela inclusão das trans como Diana Meira, secretária de Administração de Camaragibe; Marinalva Lourenço, representante do Conselho Estadual de Políticas para as Mulheres; Maria das Graças, agente penitenciária; Pâmela Cruz, advogada; Suzana Levadias, coordenadora do Espaço Trans do Hospital das Clínicas e Djair Sena, representante do Programa Estadual DST/AIDS.

 Na quarta-feira (30), acontece o Cine Debate Presídios pela manhã (10h), nas penitenciárias de Igarassu e Itamaracá (PAI/PIG). No Marco Zero de Caruaru, pessoas trans levarão placas para serem erguidas ao público, das 9h às 11h. O encerramento está marcado para o dia 01 de fevereiro, às 10h, na Rua Dona Maria Augusta Nogueira, 519 – Bongi. Lá, acontece o 1º Seminário sobre atendimento às Pessoas Trans para Curso de Enfermagem e o 1º Festival de Cultura da Amotrans, as 18h, na Rua Mamede Simões, Boa Vista. Neste ano, a Amotrans homenageia o ativista e escritor João W. Nery, primeiro homem trans a realizar cirurgia de redesignação sexual no Brasil, em 1977. Ele também era ativista pelos direitos LGBT.

CENTRO LGBT -  As pessoas trans e demais LGBTs contam com o Centro de Referência em Cidadania LGBT do Recife como espaço de promoção da cidadania e garantia de direitos, habilitado a fornecer orientações sobre direitos humanos e prestar atendimento especializado a vítimas de discriminação e violência homofóbica. Inaugurado em agosto de 2014, é o primeiro Centro de Referência Municipal do Estado de Pernambuco. Com equipe interdisciplinar formada por agente de direitos humanos, psicólogo, advogado e assistente social, o equipamento tem mais de dois mil usuários cadastrados e realizou mais de cinco mil atendimentos. Ligado à Gerência de Livre Orientação Sexual (GLOS) da SDSJPDDH do Recife, o Centro LGBT funciona na Rua dos Médicis, nº 86, no bairro da Boa Vista, das 8h às 12h e das 13h às 17h. O telefone para contato é o 3231-1553.

Além do Centro LGBT, os trans e outros LGBTs, casos de LGBTFobia podem ser denunciados na plataforma digital para recebimento de denúncias da Prefeitura do Recife. No formulário online, que está disponível no site da PCR (http://bit.ly/DenunciaLGBTRecife), é possível denunciar casos de preconceito e discriminação homofóbica com base nas leis municipais nº 16.780/2002 e nº 17.025/2004, que proíbem manifestações preconceituosas ou discriminatórias em razão da orientação sexual ou identidade de gênero, punindo os estabelecimentos públicos ou particulares, empresas ou organizações sociais que desrespeitarem as legislações.

 

 

 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.