No Sertão Quarta edição do UFPE no Meu Quintal acontece até domingo (27) A ação envolve 83 estudantes dos três campi da instituição de ensino

Publicado em: 24/01/2019 08:26 Atualizado em: 24/01/2019 08:31

Os eixos temáticos das oficinas variam desde arte, cidadania, meio ambiente, política, saúde, esportes e assistência social. Foto: UFPE/Divulgação.
Os eixos temáticos das oficinas variam desde arte, cidadania, meio ambiente, política, saúde, esportes e assistência social. Foto: UFPE/Divulgação.
A quarta edição do "UFPE no Meu Quintal", projeto da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), segue até este domingo (27). Iniciada nesse domingo (20), no município de Solidão, no Sertão do estado, a ação envolve 83 estudantes dos três campi da instituição de ensino (Recife, Vitória de Santo Antão e Caruaru). Eles atuam em 45 oficinas – que ocorrem nos turnos da manhã, tarde e noite – sobre temas como "Atendimento é arte", "Inclusão no contexto escolar: um novo olhar para educação", "Produção audiovisual" e "Um diálogo sobre saúde mental e seus rebatimentos no cotidiano".

Os eixos temáticos das oficinas variam desde arte, cidadania, meio ambiente, política, saúde, esportes e assistência social. Esta edição conta com duas professoras da Universidade do Cabo Verde participando da operação, além da visita de federações de diversas modalidades esportivas, como tiro com arco, jiu-jitsu, capoeira, esgrima e rugby para dinâmicas adicionais com a população, nas escolas e/ou ao ar livre.

Também há o acompanhamento dos estudantes pelo Grupo de Estudos, Pesquisas e Extensões no Campo da Política da Criança e do Adolescente (Gecria), liderado pela professora Valéria Nepomuceno, do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da Universidade. Esta edição é fruto da parceria entre a Universidade, por meio da Pró-Reitoria para Assuntos Estudantis (Proaes) e do Centro Acadêmico de Vitória (CAV), e a prefeitura de Solidão. O "UFPE no Meu Quintal" já teve edições realizadas nos municípios de Tabira (julho de 2017), Iguaracy (janeiro de 2018) e Tuparetama (julho de 2018), além de ações compactas realizadas na comunidade do Alto do Reservatório em 2018, nos arredores do CAV.




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.