Posse Jornalista Evaldo Costa assume o Arquivo Público pela segunda vez Profissional foi responsável pela comunicação dos governadores Miguel Arraes (1995-1998) e Eduardo Campos (2007-2014)

Publicado em: 23/01/2019 20:56 Atualizado em: 24/01/2019 08:25

A primeira vez que Evaldo Costa assumiu o órgão foi em 2015. Foto: Roberto Ramos/DP.
A primeira vez que Evaldo Costa assumiu o órgão foi em 2015. Foto: Roberto Ramos/DP.
O jornalista Evaldo Costa assume pela segunda vez a direção do Arquivo Público de Pernambuco. A posse do jornalista aconteceu na tarde desta quarta-feira (23), numa cerimônia prestigiada na sede do Arquivo, pelas mãos do atual secretário da Casa Civil, Nilton Mota. A primeira vez que Evaldo Costa assumiu o órgão foi em 2015, no primeiro ano de governo de Paulo Câmara, quando dirigiu o Arquivo durante um ano e dez meses.  Na época, a indicação do jornalista para o Arquivo Público havia sido uma sinalização de que o governo daria maior atenção ao setor.

Evaldo Costa foi responsável pela comunicação dos governadores Miguel Arraes (1995-1998) e Eduardo Campos (2007-2014). Também assumiu o cargo de secretário executivo de Comunicação na primeira gestão do governador Paulo Câmara, após ter sido diretor do Arquivo Público Estadual. 

“Estamos vivendo um momento muito importante para o órgão e a gestão terá muito apoio tanto do governo estadual quanto municipal para tocar o Arquivo Público de Pernambuco. Me sinto acolhido e com muita vontade de fazer um trabalho ainda melhor do que eu na outra passagem (em 2015). Quero aprofundar a posição de coordenador da política de gestão de documentação do estado e tornar o Arquivo Público Estadual um ponto de encontro da cena cultural pernambucana, promovendo palestras, eventos, debates e reuniões”, disse Evaldo Costa. 

O órgão guarda parte importante da história de Pernambuco em documentos, mapas, leis, jornais, livros e manuscritos preservados. O espaço foi criado em 04 de dezembro de 1945 por José Neves Filho, então desembargador de Pernambuco. Em 1972, passou a se chamar Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano, em homenagem ao seu primeiro diretor, que passou 27 anos à frente da Instituição.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.