Tráfico de drogas Polícia Civil encerra operação com 27 pessoas presas Mandados foram cumpridos na manhã desta quarta-feira no Recife, Caruaru e Alagoas

Publicado em: 23/01/2019 07:57 Atualizado em: 23/01/2019 08:55

Pessoas presas são acusadas de homicídios e tráfico de drogas. Foto: divulgação/PC
Pessoas presas são acusadas de homicídios e tráfico de drogas. Foto: divulgação/PC
Uma investigação da Polícia Civil iniciada desde novembro de 2017 resultou no cumprimento de 27 mandados de prisão, de um total de 29, e 26 mandados de busca e apreensão domiciliar na Região Metropolitana do Recife, Caruaru e Rio Largo, em Alagoas, nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira. A operação é vinculada à Diretoria Integrada Especializada (Diresp) e apura crimes de homicídio, lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e associação para o tráfico. Os mandados foram expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Recife. Ao todo, participaram da ação 270 policiais, entre delegados, agentes e escrivães.

Segundo o chefe da Polícia Civil de Pernambuco, o delegado Joselito Kehrle, a organização levantou R$ 4 milhões, desde o início da operação da Polícia até hoje, com o tráfico de drogas. Junto com os integrantes, foram localizadas três metralhadoras, além de dez pistolas e revólveres e cem quilos de droga - entre maconha, cocaína, pasta base e maconha.

“A quadrilha se capitalizou comprando imóveis e o líder morava em Caruaru, mas não praticava os crimes no município. O gerenciamento era feito por dois irmãos que moravam em Rio Largo, em Alagoas. Ambos entraram no negócio de concessionários de transporte público para lavar dinheiro”, disse Joselito. Um ônibus dos irmãos foi apreendido em Rio Largo. 

Ainda segundo o delegado, a quadrilha tem envolvimento com 27 homicídios. “Ao longo da investigação, evitamos sete homicídios”, afirmou o chefe de polícia. Para ele, com as prisões de hoje, além de outras 22 feitas desde novembro de 2017, a quadrilha está desarticulada. O principal negócio do grupo era o tráfico de drogas. Os homicídios ocorriam em decorrência do tráfico.

A organização dominava a Zona Sul do Recife, mas também atuava na Zona Norte da capital. A distribuição da droga também acontecia na Região Metropolitana e em Rio Largo. As mulheres presas nesta manhã ocupavam o lugar dos companheiros no gerenciamento dos negócios no caso de prisão deles.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.