Educação Entenda como funciona o simulador de notas do Sisu O programa foi desenvolvido pela equipe de Business Intelligence da Secretaria Executiva do MEC

Por: Agência Brasil

Publicado em: 22/01/2019 10:36 Atualizado em: 22/01/2019 10:43

Candidatos já podem se inscrever pela plataforma. Foto: Marcos Santos/USP Imagens.
Candidatos já podem se inscrever pela plataforma. Foto: Marcos Santos/USP Imagens.
O Ministério da Educação (MEC) lançou um simulador que permite os estudantes saberem quanto precisam tirar no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para ingressar no curso que desejam pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O simulador está disponível na internet

Ao entrar na página do simulador, o estudante coloca suas notas das disciplinas de ciências da natureza, ciências humanas, linguagem, matemática e redação de qualquer das edições do Enem que tenha participado. Depois, marca a alternativa “ampla concorrência” ou “lei de cotas” e, se desejar, usa os filtros disponíveis. 

LEIA MAIS:

Sisu 2019 abre inscrições; veja onde estão as vagas em Pernambuco
 

Enem 2018: 20% dos candidatos pernambucanos ainda não acessaram o resultado

Sisu tem mais de 166 mil inscritos nas primeiras horas

Caso deseje uma simulação mais específica, pode ainda selecionar algumas das modalidades de concorrência, a região e a unidade da federação de sua preferência, além do curso e turno desejados.

O simulador faz um comparativo com todas as edições passadas do Enem, desde 2010, quando o Sisu foi implantado pela primeira vez, até 2018, mostrando a menor nota que ingressou em determinada graduação, por universidade e edição do Sisu.

Segundo o MEC, o objetivo é manter o simulador sempre atualizado, com dados da última edição do Sisu, e disponível para acesso durante todo o ano, de forma a incentivar o estudante a melhorar o seu desempenho no Enem para obtenção de vaga no curso de graduação desejado.

O programa foi desenvolvido pela equipe de Business Intelligence da Secretaria Executiva do MEC.




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.