Bonsucesso Encontro entre dois gigantes do carnaval olindense movimenta Sítio Histórico O Homem da Meia Noite convidou o Boi da Macuca para a inauguração da quarta escultura do calunga

Por: Rosália Vasconcelos

Publicado em: 08/01/2019 22:51 Atualizado em: 08/01/2019 23:03

Foto: Bruna Costa/Esp DP FOTO
Foto: Bruna Costa/Esp DP FOTO

Um encontro entre dois gigantes do carnaval de Olinda movimentou as ladeiras de Olinda. O Homem da Meia Noite convidou o Boi da Macuca para a inauguração da quarta escultura do projeto A Voz do Morro, em que artistas populares produzem obras de arte homenageando o Calunga mais famoso do Brasil. Na noite desta terça-feira, o artista plástico Sérgio Vilanova entregou ao som de muito frevo “O Abraço”, trabalho feito em acrílico e PVA sobre madeira, que ficará em exposição no Largo do Bonsucesso, em Olinda, até o dia 05 de fevereiro. O Homem da Meia Noite completa 87 anos no próximo dia 02 de fevereiro.
“O nome da obra representa o que ela diz em imagem: um grande abraço do Calunga com os bois de Pernambuco, em especial o da Macuca, que já é um símbolo de nosso carnaval”, explica Sérgio Vilanova. A inauguração contou com o encontro inédito entre a formação original do Boi da Macuca, quando realizada cortejos de sanfona, e o Homem da Meia Noite, que desfilou com uma cartola prata, a mesma roupa que usou no aniversário dos 80 anos do Calunga. 

Idealizado pelo presidente do Homem da Meia Noite Luiz Adolpho, o projeto A Voz do Morro, que será o tema do desfile deste ano do bloco, está sendo construído a partir de símbolos da cultura e da periferia de Recife e Olinda. “A cada inauguração das esculturas, convidamos um personagem do carnaval pernambucano, como tem sido o Boi da Macuca em Olinda e no interior do estado”, justificou Adolpho.
Para Zé da Macuca, fundador do bloco que completa 30 anos no próximo dia 18 de fevereiro, esse reconhecimento do Calunga para com o Boi da Macuca representa o reconhecimento do seu bloco pelo público como uma instituição carnavalesca consagrada. “Essa homenagem de hoje (ontem) tem um peso muito grande dentro da relação que temos com a cultura popular por ela ter vindo de um dos principais símbolos do carnaval do Brasil. É mais importante até que um reconhecimento vindo do estado, por exemplo. Hoje constatamos que o Boi da Macuca já é parte da história do carnaval do país”, declarou Zé da Macuca. 25

A inauguração da escultura e o encontro de dois grandes blocos de Olinda atraiu turistas e moradores de Olinda e Recife. Quando da saída do Homem da Meia Noite da sede, houve o tradicional cortejo de clarins, e o Calunga foi ovacionado pela população. Todos queriam pegar na mão do Calunga. “Vim direto do trabalho porque não podia perder esse encontro inédito e histórico. O Homem da Meia Noite representa a maior simbologia do imaginário do carnaval de Olinda, em que brinco desde criança. E a Macuca representa a nova geração e vem se aproximando de várias agremiações tradicionais da cidade”, emocionou-se a advogada Suanny Pimentel, 28 anos. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.