Inquérito Pais de vítima de estupro cometido por professor estrangeiro são indiciados por abandono de incapaz O professor norte-americano Paul Steven Perron, cumpre prisão preventiva. Os pais da adolescentes de 14 anos foram indiciados por negligenciarem a prática do crime de favorecimento à prostituição de adolescente

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 08/01/2019 11:49 Atualizado em: 08/01/2019 13:52

Foto: Polícia Civil/Divulgação (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
Foto: Polícia Civil/Divulgação
A Polícia Civil de Pernambuco indiciou o professor norte-americano Paul Steven Perron, de 55 anos, por estuprar duas meninas de 11 e 14 anos de idade. Ele está preso no Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel) desde o mês passado. Por conta do risco de fuga do país, a Polícia representou novamente o pedido de prisão preventiva. Na conclusão do inquérito, os pais da adolescente de 14 anos também foram indiciados por abandono de incapaz, já que tinham conhecimento de que a jovem recebia dinheiro do estrangeiro. 

No dia 21 de dezembro de 2018 Perron foi autuado em flagrante no flat onde morava, no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. Ele atraía crianças e adolescentes até sua residência para manter relações sexuais mediante pagamento. A vítima de 14 anos contou à Polícia que a prática havia ocorrido por seis vezes. Em uma delas, ela chegou a levar uma amiga de 11 anos a pedido de Perron. A mãe da criança denunciou o caso a Polícia.

No entanto, os pais da adolescente sabiam que a menina recebia dinheiro de um "amigo gringo" e não chegaram a procurar polícia. Por esse motivo, a Polícia entendeu que houve negligência.

"Nós identificamos um comportamento bastante diverso dos pais da adolescente. Diferentemente da genitora da criança que procurou a polícia imediatamente e buscou a repressão estatal daquela situação absurda, os pais da jovem sabiam que ela chegava em casa com dinheiro de 'um amigo gringo', então entendemos que houve um abandono de incapaz por a colocarem em uma situação vulnerabilidade extrema", comentou o delegado titular de Boa Viagem, Ramon Teixeira.

As jovens não eram estudantes da escola estrangeira de alto padrão, localizada em Boa Viagem e a Polícia ainda não tem informações de que existam vítimas no local onde ele trabalhava. Perron foi indiciado por favorecimento à prostituição de adolescente e estupro de vulnerável.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.