Cancelamento Mais uma peça deixa a programação do 25º Janeiro de Grandes Espetáculos Produção de "Solo de Guerra" diz que saída voluntária é forma de protesto contra censura sofrida pela artista transexual Renata Carvalho

Publicado em: 30/12/2018 17:47 Atualizado em:

"Solo de Guerra" é monólogo que discute a homofobia e suas consequências na população LGBT  do Brasil (Divulgação. )
"Solo de Guerra" é monólogo que discute a homofobia e suas consequências na população LGBT do Brasil
Mais um grupo teatral resolveu cancelar a apresentação na 25ª edição do Janeiro de Grandes Espetáculos. A decisão veio após a direção do festival retirar da grade da programação a peça “Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, monólogo estrelado pela artista transexual Renata Carvalho. De acordo com a produção do espetáculo “Solo de Guerra”, a saída da peça é uma forma de protesto contra a censura. Na última sexta-feira, o grupo Trema Plataforma de Teatro também anunciou o cancelamento da apresentação do espetáculo “Altíssimo”, protagonizado por Pedro Vilela. 

Para o ator Cleyton Cabral, que atua no monólogo “Solo de Guerra” e que fez o anúncio do cancelamento, a direção do Janeiro de Grandes Espetáculos, ao convidar Renata Carvalho para participar da edição 2019 do festival, sabia que existiam polêmicas envolvendo a peça “Evangelho Segundo Jesus, a Rainha do Céu” e deveriam ter pulso forte para mantê-la na programação.

“Seria incoerente eu me apresentar em um festival que está cedendo a pressões da bancada evangélica de Pernambuco e dos patrocinadores. Até porque Solo de Guerra discute a homofobia e suas consequências na população LGBT+ do Brasil, sendo totalmente incoerente apresentar a temática no palco após os últimos acontecimentos. Eu expresso minha arte em uma país que mais mata LGBTs e não posso aceitar que a produção do festival ceda e compactue com as pressões da bancada evangélica”, desabafou Cleyton Cabral. 

Pelas redes sociais, o ator ainda disse que é dever dos artistas lutar pela liberdade de expressão de todo e qualquer cidadão. 

Em resposta aos anúncios de cancelamento, a Associação dos Produtores de Artes Cênicas de Pernambuco (Apacepe) publicou no fim da semana passada uma carta aberta via redes sociais. Confira a nota na íntegra: 

“A Associação dos Produtores de Artes Cênicas de Pernambuco (Apacepe) vem informar que, com o objetivo de resguardar a realização do próprio projeto e preservar suas fontes de financiamento, a direção do 25º Janeiro de Grandes Espetáculos se viu obrigada a retirar da programação do festival a peça “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”. O cancelamento se dá uma vez que o espetáculo seria realizado em um teatro público e ainda devido à pressão da bancada evangélica de Pernambuco. Por motivos similares, a montagem já enfrentou ações judiciais e passou por outros cancelamentos em território brasileiro.
Importante salientar que, neste momento, o festival ainda está em busca de solucionar o pagamento, da edição 2018, para diversos artistas - e que o Janeiro 2019 tem todos os seus subsídios oriundos do poder público.
O festival reitera o seu compromisso com a liberdade de expressão e, exatamente por este motivo, realizou o convite para que "O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu" integrasse a programação do evento. Por não aceitar este tipo de censura, a direção do festival está dando suporte à produção do espetáculo para que ele seja encenado, na mesma data que ocorreria no Janeiro, em um espaço privado e de maneira independente”.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.