Vandalismo Com passarela danificada, moradores do Pina arriscam travessia na Herculano Bandeira A falta de manutenção e a depredação deixaram o equipamento em ruínas

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 26/12/2018 13:04 Atualizado em: 26/12/2018 13:13

Equipamento foi inaugurado em 2008 e nunca teve um funcionamento pleno.
Foto: Léo Malafaia/Esp.DP. (Equipamento foi inaugurado em 2008 e nunca teve um funcionamento pleno.
Foto: Léo Malafaia/Esp.DP.)
Equipamento foi inaugurado em 2008 e nunca teve um funcionamento pleno. Foto: Léo Malafaia/Esp.DP.

Sem outra opção mais segura, moradores do bairro do Pina, Zona Sul do Recife, precisam se arriscar em uma travessia perigosa na Avenida Herculano Bandeira, via mais movimentada do bairro. A passarela que fica sobre a pista está sem condições de uso por falta de manutenção e depredação. Pessoas com deficiência física, idosos e crianças encontram dificuldade na mobilidade por causa da falta de cuidado com o equipamento público, tanto do poder público como dos vândalos que furtam e danificam a estrutura da passarela.

O equipamento foi inaugurado em 2008 com dois elevadores e quatro escadas rolantes. Um dos elevadores se tornou apenas um fosso, enquanto o outro está de portas fechadas. Desde que foi construído, o equipamento parou de funcionar por falta de manutenção diversas vezes. Os degraus das escadas foram furtados e os vidros de proteção das laterais estão quebrados.

Os pedestres aproveitam o fechamento do sinal localizado na esquina da Avenida República do Líbano para atravessar. O ambulante Sidney de Oliveira Gomes, de 27 anos, conta que o local se tornou abrigo para moradores de rua e ponto para uso de drogas. "Deveria interditar de vez ou então demolir porque não vão consertar e essa passarela só se torna mais um motivo de insegurança. Estou há dois anos trabalhando por perto e nunca vi isso em pelo funcionamento", criticou.

Na foto, o casal José Edson de Souza e Luzinete Maria Barbosa. 
Foto: Léo Malafaia/Esp.DP. (Na foto, o casal José Edson de Souza e Luzinete Maria Barbosa. 
Foto: Léo Malafaia/Esp.DP.)
Na foto, o casal José Edson de Souza e Luzinete Maria Barbosa. Foto: Léo Malafaia/Esp.DP.

O casal Luzinete Maria Barbosa, 56 e José Edson de Souza, 55, moram há mais de 30 anos no Pina e enfrentam o sufoco para chegar até a via paralela Avenida Antônio de Góes. "Ter uma passarela é algo básico para garantir a segurança do pedestre. É inadmissível que a gente precise correr o risco de ser atropelado todos os dias. Uma estrutura grande, cara e que na verdade nunca funcionou plenamente", criticou Edson.

Através de nota, a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), responsável pela manutenção do local informou que os elevadores e escadas rolantes da passarela do Pina foram depredados e, por isso, encontram-se interditados. No entanto, no momento em que a equipe de reportagem esteve no local, não havia nenhum tipo de sinalização informando sobre a interdição. O fosso do elevador continuava aberto colocando em risco os pedestres. 

A respeito da data em que a passarela irá passar por reformas, a Emlurb apenas respondeu que "está buscando captar recursos para realizar a recuperação dos equipamentos", sem fixar prazos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.