NATAL Presépios de Natal estão espalhados pelo Recife No Boulevard Rio Branco, há uma exposição do projeto de metarreciclagem

Publicado em: 24/12/2018 12:02 Atualizado em: 24/12/2018 14:29

Na foto, Presépio Cais da Alfândega. Foto: Bruna Costa/Esp.DP
Na foto, Presépio Cais da Alfândega. Foto: Bruna Costa/Esp.DP
Presépios, exemplos clássicos da tradição natalina presentes em vários pontos do Recife. Quem circula pela Boa Vista já espera pela montagem na Praça em frente à Igreja Batista da Capunga. E ela está lá, com peças em gesso que representam o sexteto tradicional, além do Arcanjo Gabriel e de um grupo de seis animais. Na Avenida 17 de Agosto, dentro dos jardins da Fundaj, as figuras clássicas têm como diferencial o uso de elementos regionais como o bambu simbolizando um cajado e palhas secas de coqueiro na manjedoura.

Já no Bairro do Recife, no Cais da Alfândega, uma estrutura maior foi montada em uma espécie de palanque, onde as pesadas figuras isoladas por um cordão representam os famosos personagens da cena. Todas em tamanho grande e o mesmo tom marrom escuro que caracteriza a representação clássica do Presépio Natalino. Acrescidas, aí, de iluminação em pisca-pisca e rodeadas por uma armação finalizada com uma estrela no alto.


No Boulevard Rio Branco, mesmo bairro, há uma exposição do projeto de metarreciclagem Recife dos Presépios por Mãos do Futuro, promovido pela Secretaria de Educação do Recife. Um total de 397 crianças e adultos de 14 escolas recriaram a cena do nascimento de Jesus a partir de resíduos tecnológicos e materiais reciclados. Os presépios confeccionados sob a supervisão de 63 professores estão expostos desde o dia 9 deste mês até amanhã, das 9h às 19h. O desafio foi construí-los utilizando pelo menos 50% dos materiais provenientes de resíduos tecnológicos. Ao todo, foi utilizada meia tonelada de itens como teclados, mouses, CPUs, telas, teclas, CDs e DVDs, monitores, cabos e fios, estabilizadores, garrafões, dentre outros.

Uma espécie de brincadeira de máquina do tempo unindo o mais tradicional do passado à tecnologia típica do presente, ambas associadas, em muitos dos temas, ao universo nordestino, sertanejo. Por meio de voto popular (1.139 votos na urna eletrônica colocada na Avenida Rio Branco, em parceria com a Rede Globo) foram escolhidos os três presépios mais representativos da mostra. As escolas vencedoras serão premiadas com apresentações culturais e passeio de catamarã, na volta às aulas. O primeiro lugar, com 181 votos, ficou para a Escola Josefina Marinho, de Casa Amarela, que representou o Santuário de Nossa Senhora da Conceição. A obra traz a Sagrada Família, os Reis Magos com os seus presentes e os animais que compõe a lapinha. Fazem parte do cenário, ainda, uma árvore de Natal e figuras características da cultura pernambucana como o Galo da Madrugada. Todas adornadas de luz e algumas com movimentos.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.