crime Polícia prende suspeito de atear fogo na Casa do Pará Além do incêndio criminoso, suspeito confessou ter cometido dois homicídios este ano em Casa Forte

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 21/12/2018 14:19 Atualizado em: 21/12/2018 14:26

Delegado Cláudio Castro (esquerda), gestor do denarc, chefe de polícia Joselito do Amaral e o delegado Nelson Souto na coletiva de imprensa nesta sexta-feira. Imagem: PCPE/Divulgação
Delegado Cláudio Castro (esquerda), gestor do denarc, chefe de polícia Joselito do Amaral e o delegado Nelson Souto na coletiva de imprensa nesta sexta-feira. Imagem: PCPE/Divulgação
Policiais da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico prendem o suspeito de atear fogo, em janeiro do ano passado, na Casa do Pará, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. Romildo Soares da Silva, conhecido como Tranquedo, foi preso na última quinta-feira (20), na Ilha de Joana Bezerra. O suspeito confessou também ter praticado dois homicídios no bairro de Casa Forte. 

"Romildo estava praticando tráfico de entopecente, inclusive confessou ter matado essas duas pessoas em Casa Forte", informou o delegado Cláudio Castro, do Denarc. Os policiais encontraram dentro do carro que Romildo estava um revólver calibre 38, mesma arma utilizada na execução das pessoas em Casa Forte. Segundo o delegado, o preso contou em depoimento que foi contratado pelo proprietário do estabelecimento concorrente para cometer o incêndio criminoso. "Ele participou efetivamente do incêndio", completou.

Na hora em que foi preso na última quinta-feira, Romildo estava acompanhado de outro homem, Jammerson Alyson Tavares dos Santos, que é ex-presidiário e estava em liberdade condicional desde abril deste ano. "Como foram encontrados objetos ilícitos em poder dos dois, o juiz da vára de execuções acabou suspendendo o livramento de Jammerson e ele foi recolhido a uma unidade prisional, desta vez em regime fechado", esclareceu Castro.

O incêndio criminoso ocorreu no dia 20 de janeiro de 2017. A Polícia prendeu o dono do Ponto do Açaí em 12 de setembro de 2017, acusado de ser o mandante do incêndio que atingiu o estabelecimento vizinho e concorrente, a Casa do Pará, na Zona Sul. O proprietário da lanchonete, no entanto, responde ao processo em liberdade. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.