Justiça Médico Cláudio Amaro segue preso no Cotel Condenado a 27 anos de prisão por ser o mandante da morte do colega Artur Eugênio, ele ainda não tem previsão de transferência para outra unidade penal

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/12/2018 10:12 Atualizado em:

Um dia após um júri popular condenar a 27 anos de reclusão o médico Cláudio Amaro Gomes, mandante do assassinato do colega Artur Eugênio, ele deve permanecer no Cotel sem data para ser remanejado a outra unidade carcerária. Na madrugada de ontem, os advogados de defesa de Amaro recorreram, ainda em plenário, da sentença da juíza Inês Albuquerque. Jaílson Duarte César, condenado a 24 anos de reclusão pelo mesmo crime, permanece no presídio de Igarassu.

“O cumprimento da pena condenatória só ocorre após o trânsito em julgado da sentença de 1º grau (Tribunal do Júri), que será atingido após o julgamento do recurso pelo TJPE. O recurso não tem prazo legal para ser julgado. Como os advogados recorreram em plenário, a prisão deles continua como preventiva”, explicou, em nota, o TJPE.
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.