Flagrante Polícia Civil prende suspeito de comandar tráfico em Ipojuca, que havia ameaçado matar Bolsonaro Edson Gomes de Melo tem antecedentes criminais e havia gravado um vídeo dizendo que iria matar o presidente eleito Jair Bolsonaro

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/12/2018 13:13 Atualizado em: 13/12/2018 14:44

O gestor do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (DENARC), Cláudio Castro, concedeu entrevista coletiva nesta quinta.
Foto: Divulgação/Polícia Civil. (O gestor do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (DENARC), Cláudio Castro, concedeu entrevista coletiva nesta quinta.
Foto: Divulgação/Polícia Civil.)
O gestor do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (DENARC), Cláudio Castro, concedeu entrevista coletiva nesta quinta. Foto: Divulgação/Polícia Civil.

Um dos suspeitos de comandar o tráfico de drogas em Porto de Galinhas, no município de Ipojuca, foi preso no último dia 10, em Maracaípe. Edson Gomes de Melo tem antecedentes criminais por homicídio e responde processo judicial por infringir a lei Maria da Penha. O suspeito havia gravado um vídeo ameaçando o presidente eleito Jair Bolsonaro e gerou repercussão nas redes sociais. Ele foi autuado em flagrante por tráfico de entorpecentes, porte de arma com numeração suprimida e foi encaminhado à audiência de custódia, que determinou a prisão preventiva.

De acordo com a Polícia Civil, ele teria a função de gerenciar a droga em uma organização criminosa conhecida como "Trem Bala", que atua em Ipojuca. Edson estava sendo investigado há pelo menos dois anos e foi encontrado morando em um Flat, na praia de Maracaípe. No momento da prisão, ele estava em casa com a esposa e o filho recém-nascido. Foram apreendidos na residência 12 tabletes de maconha e 17 pedras de crack. 

Segundo as investigações, Edson foi responsável por um homicídio de um desafeto ocorrido em 2016 e respondia a processo judicial pela lei Maria da Penha após agredir a companheira. "O Decarc já tem investigando essa organização criminosa que vem atuando em Porto de Galinhas e no Cabo de Santo Agostinho há dois anos. Já foram feitas diversas prisões, a Polícia Militar também vem combatendo o tráfico naquela região", comentou o gestor do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (DENARC), Cláudio Castro.

Um vídeo foi encontrado no celular do suspeito em que ele aparece com um revólver de calibre 38 dizendo que vai matar o presidente eleito Jair Bolsonaro. "Fica ligeiro, viu? Eu estou na rua. Seu ***, antes de você me pegar, eu vou pegar você. Vou matar você", declara o preso. Em depoimento na delegacia, ele afirmou que a gravação se tratou apenas de uma brincadeira porque o "futuro governo seria ruim para os bandidos", declarou, segundo a Polícia Civil.

"Conhecido na localidade como Corôa, ele tem liderança com os outros integrantes da organização criminosa, é bastante violento, vinha aterrorizando a localidade e intimidando vizinhos. É uma pessoa desprovida de caráter, audacioso e se achou no direito de gravar esse vídeo e divulgar entre os parceiros.O delegado que tem atuação naquela região os final do inquérito irá analisar os critérios ver se a conduta dele se enquadra em algum tipo penal", afirmou o gestor do Denarc.

O presidente eleito comentou a prisão de Edson através de sua conta no Twitter. "O Brasileiro sofre diariamente com ameaças às claras em todos os estados do Brasil. Cabe ao Executivo, Judiciário em conjunto com parlamentares, agirem em prol da defesa do cidadão de bem, criando dispositivos para retaguarda jurídica dos Agentes de Segurança Pública", declarou Bolsonaro ao postar o vídeo em que recebe ameaças.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.