Diario Urbano Antiga vila militar, em Boa Viagem, está sendo descaracterizada Degradação atinge calçadas, muros, quintais e telhados de parte das 80 casas da vila, próxima à Estação Aeroporto do metrô

Por: Jailson da Paz

Publicado em: 09/11/2018 21:47 Atualizado em:

As casas continuam de pé em Boa Viagem. Construídas nos cinco quarteirões entre as avenidas Vinte de Janeiro e Vinte e Três de Outubro e as ruas Barão de Souza Leão e Tenente Aurélio Sampaio, as 80 unidades se destacam pelas cores das paredes, branca, e das portas e janelas, azul. Do alto, as telhas inglesas ajudam a diferenciar o conjunto residencial, de origem militar e cada vez mais rodeado de prédios maiores e pontos comerciais. Manter-se de pé e com as características iniciais têm sido, pelo visto, um desafio. Com a violência, muros subiram e ganharam cercas elétricas. Portões vazados são substituídos por peças fechadas. E já não se vê alguns dos jardins e quintais, com suas mangueiras, jambeiros e coqueiros. A situação é pior em quatro casas dos dois quarteirões próximos à Rua Barão de Souza Leão. Desabitadas, percebe-se a falta de manutenção nos telhados, no lixo acumulado nos quintais e nas calçadas quebradas. Os problemas contrastam com o zelo dado ao conjunto nos anos 1980 e 1990, quando a limpeza dos quintais e das ruas mereciam elogios dos passageiros dos trens. Era um outro tempo, um outro modo de vida em Boa Viagem, sujeito a sumir com a expansão imobiliária do bairro.

Vagas públicas
As ruas Sargento Waldir Correia, Sargento Melo Júnior e Tenente Dornelas e a Avenida Vinte e Três de Outubro, em Boa Viagem, mudaram de função. De lugares pouco movimentados, nos anos 1980 e 1990, passaram para estacionamento. Usuários do metrô deixam os carros nos logradouros para embarcarem na Estação Aeroporto.

Ocupam a esquina
As vagas de estacionamento próximas à Estação Aeroporto são as mais disputadas pelos usuários do metrô. Quanto mais perto da estação mais visíveis os carros e menor o risco de arrombamentos. Nesta disputa, os motoristas ignoram a norma que diz ser proibido estacionar os veículos a, no mínimo, cinco metros da esquina.

Muitas funções
A calçada lateral da Estação Aeroporto, na Avenida Vinte e Três de Outubro, possui múltiplos usos. Além de passeio público para os usuários do metrô, abriga ambulantes e funciona como ponto de descarte de podas de árvores e restos de construção. 

Ilhas de calor
Embora o cheiro nem sempre seja dos melhores, o Canal de Setúbal cumpre função importante no combate às ilhas de calor de Boa Viagem, um dos bairros recifenses com maior taxa de adensamento populacional. Graças à arborização das margens.

Destino errado
Terrenos baldios dificilmente escapam do destino de lixão no Recife. Não tendo muros, exemplo da esquina da Rua Gomes Taborda com a Avenida General San Martin, no Cordeiro, tal destino é selado facilmente. Ali, a população despeja tudo que precisa se livrar em casa. De lixo doméstico a pneus, móveis e eletrodomésticos quebrados.

Questão resolvida
Persistentes, os moradores da Rua Professor José Cândido Pessoas, em Bairro Novo, Olinda, tiveram a solicitação de troca de lâmpada, no poste em frente ao imóvel 921, atendida. A prefeitura fez a substituição nesta semana após denúncia da coluna.

Sem tirar o olho
Fala-se em Garanhuns que a rede municipal de ensino terá o próprio “big brother” com a instalação de um sistema de câmeras em 60 creches e escolas, nas áreas urbana e rural. O sistema já começou a ser instalado, para atender demanda da segurança interna e externa das unidades, e terá uma central de monitoramento durante 24 horas. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.