Litoral Quinze pacotes misteriosos são encontrados em praias de Pernambuco Caixas semelhantes foram encontradas no mar de outros estados nordestinos, como Paraíba, Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí

Publicado em: 29/10/2018 21:01 Atualizado em: 29/10/2018 21:15

Cada pacote pesa cerca de cem quilos. Foto: SEMAB/AMAIG/Divulgação.
Cada pacote pesa cerca de cem quilos. Foto: SEMAB/AMAIG/Divulgação.
Quinze pacotes de origem não identificada surgiram entre a noite da última sexta-feira (26) e a tarde desta segunda-feira (29) em pelo menos seis municípios do Litoral pernambucano. Objetos semelhantes foram encontrados no mar de outros estados nordestinos, como Paraíba, Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. O material localizado nas praias de Pernambuco serão enviados nesta terça-feira (30) para a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), que deve encaminhar os achados para perícia. Uma análise superficial realizada pelas secretarias de Meio Ambiente de Jaboatão dos Guararapes e de Igarassu aponta que os pacotes, com mais de 100 kg cada, contêm material sintético derivado de petróleo.  

Apenas nas praias de Jaboatão, em diferentes pontos de Piedade, Candeias e Barra de Jangada, sete “caixas misteriosas” foram encontradas. A primeira apareceu na noite dessa sexta-feira e foi localizada por uma equipe que monitora tartarugas na orla. “Como são muito pesadas, foram necessárias oito pessoas para tirar da água. Depois, solicitamos uma retroescavadeira para fazer a remoção das demais”, afirmou a superintendente de Meio Ambiente da cidade, Edilene Rodrigues. Os pacotes encontrados no município estão guardados no órgão e serão encaminhados à CPRH hoje. “Continuamos monitorando, dia e noite, as praias para identificar outros pacotes, caso apareçam”, disse Edilene.

Uma análise superficial aponta que os pacotes contêm material sintético derivado de petróleo. Foto: SEMAB/AMAIG/Divulgação.
Uma análise superficial aponta que os pacotes contêm material sintético derivado de petróleo. Foto: SEMAB/AMAIG/Divulgação.
Além de Jaboatão, foram localizados três caixas em Paulista, sendo duas na Praia de Maria Farinha e uma no Janga. A primeira apareceu nesta segunda pela manhã e a outra à tarde. Elas foram levadas para a Secretaria de Serviços Públicos da cidade e também serão transferidas para a Agência Estadual de Meio Ambiente. No Cabo de Santo Agostinho, foi registrado o aparecimento de um pacote, no mar de Gaibu, na altura da Pousada Caravelas de Pinzón. O material foi retirado da água por comerciantes informais da orla. “Equipes sairão às praias do município amanhã para saber se há mais pacotes em outros pontos”, informou a assessoria de comunicação do Cabo.

A Prefeitura de Olinda também notificou o aparecimento de um volume, encontrado na manhã desta segunda-feira em Bairro Novo. Ipojuca, no Litoral Sul do estado, também registrou a localização de um pacote e monitora a orla. Já em Igarassu, foram achados dois fardos por volta das 12h30 desta segunda. “Eles foram encontrados pela população, que entrou em contato com a Secretaria de Segurança Cidadã. Fomos ao local com um engenheiro químico, um engenheiro ambiental e um biólogo. O material foi identificado por eles como sendo feito de polímero. Ainda não sabemos, porém, a finalidade e o motivo do surgimento”, pontuou o secretário-executivo de Meio Ambiente de Igarassu, Rinaldo Rufino. Segundo ele, os pacotes estavam a cerca de 300 metros de distância um do outro na praia de Mangue Seco, distrito de Nova Cruz.

A Marinha informou que não há registro de naufrágio ou de acidente com embarcações que possa ter resultado no aparecimento desse material. No litoral alagoano, análises já realizadas por biólogos do Instituto do Meio Ambiente (IMA) constataram que os pacotes são feitos mesmo de polímero, um material sintético feito a partir de derivados do petróleo. Já a Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH) aguarda o envio do material pelos municípios para tomar providências.




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.