vandalismo Escola e posto de saúde indígenas são incendiados em Pernambuco "Que se faça a devida investigação, que os culpados sejam punidos, que haja justiça!" pediu a comunidade Povo Pankararu em nota

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 29/10/2018 16:14 Atualizado em: 29/10/2018 18:03

Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
A comunidade indígena Povo Pankararu, localizada no sertão Pernambucano, utilizou sua página do Facebook para repudiar os atos de vandalismo praticados em sua única escola e seu único posto de saúde neste último domingo (28).

Os indígenas contam que os prédios "foram criminosamente incendiados tendo praticamente perda total da estrutura física", além de afirmarem que móveis, documentos e equipamentos foram perdidos. 

"A comunidade Bem Querer de Baixo é uma das principais áreas de conflitos entre indígenas e posseiros e onde recentemente tivemos ganho de causa pela reintegração de posse do nosso território" diz a nota na página do facebook. Os maiores prejudicados são as crianças sem escola nas vésperas do fim do ano letivo, a comunidade sem o PSF onde eram realizados cerca de 500 atendimentos mensais e a nossa alma que é constantemente ferida, machucada... Mas jamais silenciada."

Foto: Reprodução / Facebook
Foto: Reprodução / Facebook

Nesta tarde, a Polícia Civil informou que está investigando a motivação e os suspeitos do incêndio que destruiu a Unidade de Saúde da Família e a Escola Municipal de Jabotá, no Sertão de Pernambuco. O fato ocorreu na madrugada desta segunda-feira (29).  Há uma equipe realizando a perícia nos locais e será aberto um inquérito policial para investigar o caso, que está sobre o comando do delegado Daniel Angeli.

A nota, intitulada de "a barbárie começou" é finalizada com pedidos: "Que se faça a devida investigação, que os culpados sejam punidos, que haja justiça!"

Confira o texto na íntegra:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.