Crime Adolescente é detido suspeito de falsificar documentos para empréstimos bancários Polícia Federal diz que jovem também vendia os documentos falsificados. Ele foi pego em Goiana e entregue a parentes depois de audiência de custódia

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 29/10/2018 14:50 Atualizado em: 29/10/2018 14:57

Imagem: Divulgação/PF
Imagem: Divulgação/PF

A Polícia Civil de Goiana, na Mata Norte, com apoio da Receita Federal do Brasil e Polícia Federal realizou uma ação que resultou a apreensão em flagrante de um adolescente, de 17 anos, suspeito de falsificar documentos para abrir contas e fazer empréstimos bancários. A apreensão ocorreu às 8h40 da última sexta-feira (26), mas só foi divulgada nesta segunda (29) pela Polícia Federal. O jovem, natural da cidade de Souza, e residente em João Pessoa, ambas na Paraíba, passou por audiência na Promotoria da Criança de Nazaré da Mata, que fica mais próxima de Goiana, ele foi entregue aos parentes, após dos procedimentos. 

Inicialmente, os policiais pensavam que o suspeito era maior de idade. Somente após sua tia comparecer a uma audiência de custódia na Justiça Federal, no bairro do Jiquiá, é que os policiais tiveram a certeza de que o jovem tinha 17 anos. O adolescente já possui antecendentes criminais por receptação de uma motocicleta em 2017, roubada na cidade de Souza, na Paraíba. 

De acordo com a PF, a apreensão do rapaz aconteceu quando policiais civis da delegacia de Goiana receberam a informação de que um suspeito estaria no interior da agência da Receita Federal com o objetivo de concluir operações de inscrições de três  Cadastro de Pessoas Físicas (CPFs). A ação teve seu desfecho final quando os policiais de posse de uma foto do suspeito entraram na agência, identificaram-no e ao fazer uma abordagem foi encontrado no bolso de sua vestimenta diversos documentos públicos falsificados, como certidões de nascimento, procurações públicas, cédulas de identidade, além de cartões de crédito.

Após sua detenção e ter sido confirmada a falsificação dos documentos, o jovem foi encaminhado para a sede da Polícia Federal que fica localizada no Cais do Apolo, no Bairro do Recife, onde foi autuado pela prática do crime tipificado nos artigos 304, 297 e 298 todos do Código Penal (uso de documento falso, falsificação de documento público e particular). Se condenado, as penas somadas podem variar de um a 16 anos de reclusão.

Após o término do flagrante o preso foi enviado para a audiência de Custódia onde sua tia, que mora em João Pessoa, compareceu e levou os seus documentos originais, provando sua menoridade e da Justiça Federal. Daí, ele seguiu para a Gerência de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) para que fossem feitas as formalidades legais. As polícias Civil e Federal e a Receita Federal vão continuar acompanhando o caso, a fim de identificar outros envolvidos com o esquema. 

Em seu interrogatório, o adolescente informou que falsificou sozinho os documentos de identidade e certidão de nascimento por meio de um programa de computador em sua própria residência e que conseguia as fotos das pessoas em lojas de fotografias pagando um pequeno valor para o proprietário e depois as utilizava para confecção das identidades falsas. Com a confecção desses dois documentos, ele procurava uma agência dos correios e dava entrada na formalidade para retirada do CPF para depois então finalizar o procedimento junto à Receita Federal.

O jovem também informou que com os documentos falsos ele abria contas bancárias, conseguindo empréstimos, mas também cobrava a importância de R$ 800 reais para confeccionar os documentos falsos para integrantes de outras quadrilhas de falsários. O adolescente sempre se apresentava nas agências da Receita Federal dizendo que estava servindo como office boy para pessoas sem tempo e idosos de um abrigo a fim de regularizar a documentação deles. Por fim disse que escolheu a agência dos correios de Goiana porque acreditava não chamar muita atenção.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.