Eleições Representantes do MST se envolvem em confusão em Caruaru Dirigente nacional do movimento, Jaime Amorim, estava panfletando no centro da cidade quando foi conduzido à delegacia

Publicado em: 27/10/2018 15:17 Atualizado em: 27/10/2018 16:38

FOTO: Paulo Paiva/ DP (FOTO: Paulo Paiva/ DP)
FOTO: Paulo Paiva/ DP
O dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Jaime Amorim, estava em uma ação de panfletagem na cidade de Caruaru, no Agreste do estado, quando foi detido pela Polícia Militar.

Segundo informações do jornal Brasil de Fato, Amorim estava entregando exemplares do folhetim quando foi ameaçado e sofreu agressões de supostos eleitores do candidato Jair Bolsonaro (PSL), que logo em seguida acionaram a PM.  De acordo com o diretor estadual do MST em Pernambuco, Francisco Terto, o tumulto foi iniciado pelos apoiadores de Bolsonaro.

"Havia um grupo ligado ao presidenciável que estava à paisana. Dois militares em uma moto e um dos nossos companheiros estava fazendo a entrega do material. E eles começaram a fazer um processo muito violento e desceram da moto", revela Francisco.
 
Em nota, a Secretaria de Defesa Social, afirmou que não houve nenhuma apreensão de material e que nenhuma das partes prestou queixa. Desta forma, ninguém foi detido. Ainda segundo o órgão, a confusão começou quando os representantes do MST estavam adesivando veículos que passavam na via, quando tentaram adesivar, a força, um veículo de propriedade privada.
 
Confira, na íntegra, a nota da SDS:
 
A Secretaria de Defesa Social esclarece fato ocorrido na manhã de hoje (27/10), no centro da cidade de Caruaru. Na ocasião policiais militares conduziram algumas pessoas a Delegacia de Polícia Civil por suposto envolvimento em discussão política entre eleitores de candidatos à Presidência da República.

RELATO: De acordo com informações prestadas na Delegacia de Polícia, no final da manhã deste sábado, integrantes do MST, estavam abordando veículos para serem adesivados com a propaganda do candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) à Presidência da República. Em determinado momento, eles teriam forçado a adesivação num veículo particular onde os ocupantes não autorizaram o referido ato.

Em virtude da negativa, gerou-se uma confusão e uma pessoa teria sido agredida, momento em que uma guarnição da PMPE constatou o tumulto, conduzindo todos os envolvidos para a Delegacia local. 

Conduzidos ao plantão policial, nenhuma das partes manifestou desejo de representar criminalmente, sendo os ânimos apaziguados e o caso encerrado.

Ressaltamos, que não houve apreensão de nenhum material político (adesivos, bandeiras...) e que a condução ocorreu por ter havido agressões. Importante informar que o líder do movimento, Jaime Amorim, não foi preso sendo, apenas encaminhado à Delegacia, junto com as pessoas envolvidas na ocorrência. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.