Celebração Casamento coletivo celebra a união de 32 casais no Presídio de Igarassu O evento foi realizado no espaço ecumênico do presídio, com direito a alianças, convidados, bolo, buquê, celebração religiosa e trajes tradicionais de noivos

Publicado em: 25/10/2018 20:20 Atualizado em: 25/10/2018 20:24

O ato reuniu cerca 130 familiares dos noivos, que também são voluntários na ação. Foto: Márcia Galindo/Seres/Divulgação.
O ato reuniu cerca 130 familiares dos noivos, que também são voluntários na ação. Foto: Márcia Galindo/Seres/Divulgação.
Os muros do Presídio de Igarassu (PIG), na Região Metropolitana do Recife, não impediram que 32 detentos vencessem a distância imposta pelo cárcere e realizassem o sonho de se casar com suas companheiras. Na manhã desta quinta-feira (25), a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), ligada à Secretaria de Justiça de Direitos Humanos (SJDH), realizou um casamento coletivo em parceria com a Defensoria Pública de Pernambuco e o cartório do município de Itapissuma. O enlace ocorreu no espaço ecumênico do PIG.

Para participar da celebração, os reeducandos e suas noivas passaram por entrevistas e tiveram seu comportamento avaliado pelo setor psicossocial da unidade prisional. O ato reuniu cerca 130 familiares dos noivos, que também são voluntários na ação. A celebração religiosa foi conduzida pelo pastor Elízio José da igreja evangélica Casa da Benção em Rio Doce, de Olinda.

No enlace, os noivos  não abriram mão do bolo de noiva, buquê, celebração religiosa e trajes tradicionais. A ornamentação da festa ficou por conta do trabalho de detentos voluntários do PIG. A Defensoria Pública do Estado foi responsável pelo aporte jurídico aos noivos que foram isentos dos custos cobrados pelo cartório para o casamento.  

“Todas as ações que promovam a integração familiar dos detentos são muito bem vindas, essa é mais uma oportunidade para que os reeducandos constituam e, se for o caso, restabeleçam os laços familiares. Os resultados positivos repercutem na vida deles e na rotina do Sistema Prisional”, afirmou o secretário-executivo de Ressocialização, Cícero Rodrigues.

Juntos há três anos, a artesã Rejane Maria, 45, e o detento Gabriel Pereira, 30, que cumpre pena há dois, oficializaram a união na cerimônia. “Com certeza é um sonho que se realiza, eu mesma criei meu vestido de crochê, e mesmo que meu marido tenha um passado errôneo, acredito que nosso casamento pode transformar sua vida”, contou a noiva.

O detento Robert William, 23, está há dois anos no PIG. Ele casou com a vendedora Ana Maria, 37, com quem mantém relacionamento há cerca um ano. “Oficializar nosso relacionamento é importante porque me aproxima da família. Tenho planos de trabalhar e viver honestamente quando sair da prisão. Sei que o recomeço é difícil, mas o nosso amor é o primeiro passo e fio condutor da mudança”. O matrimônio também contou com a presença do subdefensor de causas coletivas, Rafael Alcoforado. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.