Saúde Seminário discute a atualização e tratamento de pacientes com mielomeningocele Evento realizado nesta quinta-feira (25) marca o dia Mundial de Espinha Bífida e Hidrocefalia

Publicado em: 25/10/2018 11:50 Atualizado em: 25/10/2018 11:53

Crianças atendidas pelo instituto. Imagem: Divulgação
Crianças atendidas pelo instituto. Imagem: Divulgação

A mielomeningocele, também conhecida como espinha bífida aberta, ocasionada de fatores como histórico familiar de malformações da coluna vertebral e deficiência de ácido fólico, será tema de um evento, nesta quinta-feira (25), promovido pelo Instituto Arthur Vinícius - (IAV). O seminário,  destinado aos profissionais e acadêmicos da saúde, traz como tema: “Atualização no tratamento e acompanhamento da mielomeningocele. A programação, marca o dia Mundial de Espinha Bífida e Hidrocefalia.

O encontro será realizado no auditório Capiba - Bloco Capunga, bairro das Graças, a partir das 19h. Na ocasião, a neurocirurgiã pediátrica do Instituto Materno Infantil (IMIP) e do Hospital da Restauração, Suzana Serra, vai apresentar novos estudos com relação ao tratamento e prevenção da doença. Interessados em participar precisam realizar inscrição por meio do site: https://bit.ly/2OyoSA9

Instituto Arthur Vinícius - Com atuação há mais de dez anos na capital pernambucana, o IAV, surgiu a partir das dificuldades enfrentadas pelos pais de Arthur Vinícius, atualmente com 13 anos.  Ao ver tantas outras mães e pais na mesma situação, Fabíola Maciel, mãe do garoto, criou o Instituto  em 2005.

A ideia foi reunir familiares de crianças e jovens portadores de mielo para a defesa dos seus direitos, esclarecimento sobre diversos aspectos da doença, além de prestar apoio às famílias. A doença, que traz sérias consequências à saúde dos pequenos, compromete, principalmente, a locomoção dos pacientes, entre outros aspectos imunológicos e do aparelho digestivo.

O Instituto Arthur Vinícius, com sede na Rua 21 de Abril, bairro de Afogados, têm uma importante atuação frente ao trabalho do público que necessita de acompanhamento da mielomeningocel, por meio de serviço de acompanhamento voluntário. Atualmente, mais de 200 crianças e adolescentes são assistidas pela Instituição. Além disso,  o IAV oferece, também, cursos e treinamentos sobre curativos, cuidados com a higiene dos pacientes, atendimento de fisioterapia e psicologia.

A doença - A mielomeningocele, também conhecida como espinha bífida aberta, é uma malformação congênita da coluna vertebral do feto em que as meninges, a medula e as raízes nervosas estão expostas.  A doença  pode resultar de uma série de fatores  como histórico familiar de malformações da coluna vertebral e deficiência de ácido fólico. A mielomeningocele, mesmo quando reparada com cirurgia após o nascimento do bebê, causa complicações  como a perda de controle das funções do intestino e da bexiga, paralisia total ou parcial das pernas e hidrocefalia, além da incidência de meningite e déficit de atenção.

Prevenção - É uma doença que pode ser prevenida por meio da ingestão de ácido fólico, sob a forma de comprimidos.  A mulher que planeja a gravidez deve consumi-lo meses antes de ter a confirmação  de que está grávida.  Alimentos como pães e bolachas possuem o ácido fólico em sua composição. Sob a forma in natura, ele está presente em vegetais, frutas  e grãos como espinafre, couve, nabo, alface; laranja, ervilhas e lentilhas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.