Itamaracá Seres abre sindicância para investigar mortes na Barreto Campelo Dois detentos foram mortos e um terceiro ficou ferido depois de um tumulto às 18h dessa quarta-feira

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 25/10/2018 09:08 Atualizado em: 25/10/2018 09:27

Foto: Brenda Alcantara/DP
Foto: Brenda Alcantara/DP
A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) determinou abertura de sindicância para investigar a briga ocorrida na noite desta quarta-feira (24) na Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá, em que resultou na morte de dois detentos mortos e deixou um terceiro ferido. Jaime José Moisinho, 51 anos, morreu a caminho do Hospital de Itapissuma e Leandro de Araújo de Assis, 26 anos, faleceu na unidade prisional. O ferido Evaldo José de Gouveia encontra-se internado no Hospital Miguel Arraes em estado de saúde estável. 

A Seres informou ainda que na noite desta quarta-feira  estiveram na unidade prisional a Polícia Militar, Polícia Civil, Instituto de Criminalística, Batalhão de Choque e Corpo de Bombeiros para providências cabíveis. A Delegacia de Itamaracá vai apurar as circunstâncias em que ocorreu o fato. De acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco (Sindasp), a briga envolveu presos dentro de um pavilhão. 

O secretário de Justiça e Direitos Humanos Pedro Eurico confirmou que houve o uso de armas de fogo. Não se sabe ainda em que circunstâncias a arma entrou na unidade prisional, considerada de segurança máxima, onde há presos sentenciados cumprem pena. A presidente do Serviço Ecumênico de Militância nas Prisões (Sempri), Vilma Melo, comentou que a superlotação no presídio e a facilidade de armas circularem na unidade contribuiram para o cenário de tumulto. Segundo ela, dados repassados pela própria Seres, mostram que em todo estado existem cerca de 32,3 mil presos para 11.812 vagas. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.