tumulto Estudantes da UFPE protestam contra professor após suposto apoio a Bolsonaro As manifestações começaram quando alunos do CFCH perceberam a chegada de pessoas vestidas com camisas estampadas com imagens do presidenciável para exibição de filme

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 09/10/2018 18:01 Atualizado em: 09/10/2018 20:40

Foto: WhatsApp/Cortesia
Foto: WhatsApp/Cortesia
Estudantes da UFPE se reuniram, na tarde desta terça-feira (9), para protestar contra um professor do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) da universidade. Rodrigo Jungmann é acusado pelos alunos de fazer apologia ao candidato à presidência da República Jair Bolsonaro dentro do ambiente acadêmico, após convidar os universitários para exibição de um filme. 

As manifestações começaram quando alunos do CFCH perceberam a chegada de pessoas vestidas com camisas estampadas com imagens do presidenciável. Vídeos que circulam pelas redes sociais mostram o tumulto em frente ao prédio do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, onde ocorreu a exibição do longa Bonifácio, o fundador do Brasil. Os estudantes chamam o professor, entre outros adjetivos de "fascista" e "racista". Em outro momento os universitários cantam em apoio à chapa adversária a Bolsonaro no segundo turno: "Eu tô com eles, eu tô com ela, contra fascista é Haddad e Manuela". 

O professor aparece nas gravações registrando o protesto, atrás das grades do prédio. Ele fez uma transmissão ao vivo das manifestações na sua página no Facebook e afirmou, após a exibição do filme e do protesto, que estaria sendo levado para casa por uma viatura da segurança universitária. Na galeria de imagens do perfil, é possível ver fotos de Rodrigo Jungmann com o slogan em apoio a Bolsonaro.  

Em entrevista ao Diario, Rodrigo Jungmann contou que a intenção da atividade não foi fazer politica partidária e que o filme exibido não retrata a realidade atual. Ele afirmou ainda que a escolha do filme foi feita por alunos, que pediram para ele reservar o auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, e que não pode proibir pessoas de usar camisas de candidato. 

A coordenação do CFCH confirmou que o auditório do centro foi reservado pelo professor para uma atividade acadêmica, mas não sabe informar se houve conotação política. Segundo a ASCOM da UFPE, seguranças da universidade foram acionados para conter as manifestações. 

Não foi a primeira vez
Em 2017, uma exibição cinematográfica promovida por Rodrigo Jungmann também causou tumulto na UFPE. O professor convidou alunos para assistirem o filme O Jardim das Aflições, dirigido pelo pernambucano Josias Teófilo, que mostra vida, obra e pensamento do filósofo Olavo de Carvalho.

As pessoas que foram ver o documentário, no entanto, estavam munidas de soqueiras e trajando blusas de Bolsonaro. Outros estudantes se revoltaram e, com camisas vermelhas do Partido da Causa Operária (PCO), tentaram impedir a passagem de quem queria ver o filme. Cerca de 70 estudantes tentaram impedir a exibição do documentário. No auditório, havia, aproximadamente, 200 alunos. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.