paralisação Médicos do Recife continuam em estado de greve A categoria, que está parada desde o dia 20 de agosto, denuncia a falta de medicamentos, insegurança e de condições de estrutura de trabalho

Publicado em: 03/10/2018 16:56 Atualizado em: 03/10/2018 18:20

Foto: Simepe/Divulgação
Foto: Simepe/Divulgação
Os médicos da rede municipal do Recife anunciaram, nesta quarta-feira (3), que vão continuar em estado de greve por tempo indeterminado. A categoria, que está parada desde o dia 20 de agosto, denuncia a falta de medicamentos, insegurança e de condições de estrutura de trabalho. Eles pedem ainda a realização de concurso público para ampliar o quadro de profissionais de saúde, que foi prometido mas não cumprido pela PCR. 

De acordo com o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), a decisão, tomada em Assembleia Geral, foi acertada por ampla maioria do quórum presente, que compareceu em número maciço. A medida foi tomada em virtude da falta de respostas concretas por parte da gestão municipal.

“Aos quatro cantos, em resposta ao nosso movimento, que é legítimo, ouvimos e lemos por parte da Secretaria de Saúde que o diálogo está aberto. No entanto, sabemos que isso não está se concretizando na prática. Queremos negociar, médico gosta de atender, de promover saúde, e não de greve. Mas - na atua situação a qual estamos inseridos - está impossível de se trabalhar na rede municipal. Queremos e precisamos de mudanças e melhorias. A saúde e as pessoas não podem mais esperar”, ressalta o presidente do Simepe, Tadeu Calheiros.

Ao final do encontro, ficou deliberado uma ação social, na próxima terça-feira, pela manhã, em um local de grande circulação da cidade. Uma nova AGE ocorrerá às 9h30 da próxima quarta-feira (10), novamente na AMPE.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.