Insegurança Reforço policial no Parque das Esculturas Local onde estão as esculturas de Francisco Brennand foi palco de latrocínio no último domingo, que vitimou o advogado Flávio Amorim. Dois suspeitos foram presos

Publicado em: 02/10/2018 07:59 Atualizado em: 02/10/2018 08:03

Policiais motorizados estão fazendo rondas na área. Imagem: Nando Chiapetta/DP
Policiais motorizados estão fazendo rondas na área. Imagem: Nando Chiapetta/DP

Um dia depois do crime de latrocínio, que resultou na morte do advogado Flávio Amorim, aos 47 anos, no domingo, quando fazia um passeio de bicicleta no Parque das Esculturas Francisco Brennand, o policiamento no local foi reforçado com quatro policiais e uma viatura. Alguns turistas foram vistos tirando fotos no cenário do parque.

Ontem, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) decretou as prisões preventivas dos dois suspeitos de matar o advogado. A audiência de custódia ocorreu no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano e após a audiência, Matheus Ribeiro Vieira Barros, 18, e Artur Felipe de Lira, 20, foram encaminhados para o Cotel, em Abreu e Lima. O corpo do advogado Flávio Amorim foi cremado, ontem, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, numa cerimônia reservada para a família.

Os dois suspeitos foram presos logo após o crime, no bairro de Brasília Teimosa, e confessaram o latrocínio. Com eles a Polícia Militar encontrou as bicicletas, mas não localizou a arma do crime. Segundo as investigações da Polícia Civil, ambos já foram apreendidos quando eram menores de idade por acusação de roubo e tráfico de drogas. Eles são suspeitos, ainda, de integrar um grupo criminoso envolvido com tráfico de drogas e homicídios.

O advogado morreu após ser atingido com um tiro no peito. Segundo as testemunhas, ele não reagiu e inclusive pediu calma aos assaltantes. A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Pernambuco (OAB) emitiu nota de pesar diante do assassinato de Flávio. “Ao tempo em que se solidariza com a família, a OAB-PE espera a apuração dos fatos e o cumprimento da lei, com a devida punição da autoria do crime”, diz um trecho da nota.

O assalto que tirou a vida de Flávio Amorim aconteceu em um dos trechos mais movimentados pelos ciclistas durante os fins de semana, uma vez que liga o Parque de Brennand à ciclovia da orla de Brasília Teimosa. Apesar de ser bastante frequentado, falta iluminação, parte do calçamento foi quebrada, toda estrutura elétrica foi furtada e as peças do artista plástico estão danificadas.

Um projeto de requalificação orçado em R$ 2 milhões prevê a implantação de uma guarita de segurança 24h, colocação de cancelas estabelecendo um horário para visitação, portaria com vigilância, câmeras e colocação dos portões da torre de cristal. Por enquanto, a reestruturação ainda não tem prazo para sair do papel, já que ainda aguarda aprovação de um edital enviado ao Ministério do Turismo que prevê uma parceria para captar recursos, de acordo com a Secretaria de Turismo do Recife.

“Essa degradação mancha a história e a imagem da cidade e afasta os visitantes. Para mim, que vivo do turismo, é revoltante ver a maneira que a violência tem se instalado nessa área. É lamentável ver peças tão importantes como essas se perderem no esquecimento”, lamentou o barraqueiro Gilberto Pereira, 36. Assim como ele, moradores e turistas lamentam a falta de conservação ao chegar no espaço. Faltam placas que identifiquem as esculturas, guias turísticos e presença de segurança, tanto  da Polícia Militar, como da guarda municipal, que desativou um posto que havia no Parque.

Após o crime ocorrido no último final de semana, a Polícia Militar afirmou que as rondas e as abordagens serão intensificadas no local. Segundo a PM, o policiamento é realizado por Guarnições Táticas, Patrulhas do Bairro, motopatrulheiros e da Contrarresposta, além de existir um Posto de Unidade de Força Integrada na entrada da comunidade de Brasília Teimosa. A PM ainda informou que o 19º Batalhão, responsável pela segurança no bairro do Pina, mantém contato com os moradores através de um grupo no WhatsApp, onde são repassadas as informações. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.