Operação Semente Polícia prende oito mulheres envolvidas com homicídio e tráfico De 29 mandados de prisão, 25 foram cumpridos nesta quarta. Além de armas, a polícia também apreendeu drogas

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 26/09/2018 09:31 Atualizado em: 26/09/2018 09:41

Equipes cumpriram mandados de prisão nesta manhã, no bairro de Santo Amaro. Imagem: Polícia Civil/Divulgação
Equipes cumpriram mandados de prisão nesta manhã, no bairro de Santo Amaro. Imagem: Polícia Civil/Divulgação

Oito mulheres são presas numa operação realizada pela Polícia Civil nesta quarta-feira (26), na Região Metropolitana do Recife. Elas são suspeitas de integrar uma quadrilha que teria cometido pelo menos dez assassinatos, além de praticar tráfico de drogas e crime de corrupção de menores. Um total de 29 mandados de prisão foram expedidos pela Vara Criminal de Paulista, dos quais 25 foram cumpridos.

Batizada de Semente, a ação também cumpriu 18 mandados de busca e apreensão. O nome da operação foi uma homenagem ao líder da organização criminosa, conhecido como Semente do Mal, que comandava os crimes de dentro do presídio. Entre as 25 pessoas que tiveram mandado cumprido, oito já se encontravam recolhidas em unidades prisionais do estado.  Há quatro acusados foragidos, três homens e uma mulher. 

"Foram nove meses de investigação. Os integrantes são acusados de cometer mais de dez homicídios, mas um deles foi evitado. Eles cometiam crimes em Maranguape I e Maranguape II, em Paulista, e no bairro de Santo Amaro, no centro do Recife. As equipes continuam nas ruas tentando cumprir o restante dos mandados", assegurou o chefe de Polícia Civil, o delegado Joselito Kehrle do Amaral.

Segundo Joselito, as mulheres participavam auxiliando o tráfico de drogas e de armas. "Apreendemos armas de grosso calibre, além de 15 quilos de maconha, um quilo de crack e uma quantidade de cocaína", informou. Segundo a Polícia Civil, o trabalho de investigação, que iniciou em dezembro do ano passado, contou com a apoio do serviço de inteligência da corporação e do sistema prisional. Os suspeitos presos e materiais apreendidos estão sendo levados para o Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), no bairro de Afogados, no Recife.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.