Flagrante Dupla é presa no Sertão com 16,5 quilos de maconha A droga seria levada para a cidade de Brejo Santo, no Ceará

Publicado em: 24/09/2018 10:43 Atualizado em: 24/09/2018 10:46

Imagem: PF/Divulgação
Imagem: PF/Divulgação
Suspeitos de traficar drogas no Sertão são autuados pela Polícia Federal com 16,5 quilos de maconha. A droga foi apreendida numa barreira policial na BR-116, em Salgueiro, por policiais do 8° Batalhão da Polícia Militar. Ancelmo José dos Santos, 51, e Aldeites de Souza, 40, que já possuiam antecedentes criminais por tráfico de drogas, foram presos novamente. 

De acordo com a PF, informações foram repassadas indicando que uma van de lotação, vinda de Salgueiro, transportava uma certa quantidade de maconha. Ao abordar o veículo suspeito, os policiais encontraram o entorpecente em dois sacos. 

Ao ser presa, Aldeites indicou o nome de Ancelmo como sendo a pessoa que lhe teria repassado toda a droga em Cabrobó, o que levou os militares a se deslocar até a sua residência, onde também foi preso em flagrante. Antes de ser preso, Ancelmo havia ligado para o telefone de Aldeites perguntando se ela já estaria em Salgueiro, o que comprovou ainda mais a sua participação no tráfico. A droga tinha como destino final a cidade de Brejo Santo, no Ceará. 

Segundo declarou à PF, Aldeites receberia a importância de R$ 500, quando entregasse a droga a uma pessoa que faria contato com ela por celular. Os dois foram autuados de acordo com os artigos 33 e 40, inciso V, da Lei nº 11.343/2006, tráfico interestadual de entorpecentes. Caso sejam condenados, podem pegar penas que variam de 5 a 20 anos de reclusão. 

Após a autuação, os presos realizaram Exame de Corpo de Delito no Instituto de Medicina Legal (IML), passaram pela audiência de custódia onde foi confirmada as prisões preventivas. Eles foram conduzidos para o sistema prisional da região, onde ficarão à disposição da Justiça Estadual. Além da droga, também foi apreendido um aparelho celular. Em seus interrogatórios os presos usaram do seu direito constitucional de só falar em juízo. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.