Paralisação Médicos da Prefeitura do Recife suspendem atendimento por 72 horas Classe médica denuncia que a gestão de saúde da PCR "não priorizar a saúde". Movimento começa nesta terça

Publicado em: 18/09/2018 11:46 Atualizado em:

Os médicos da rede municipal do Recife iniciam nesta terça-feira (18), o movimento de paralisação de 72h, aprovado na AGE da semana, no auditório da Associação Médica de Pernambuco (AMPE), na Boa Vista, com possibilidade de greve por tempo indeterminado. O atendimento às urgências e emergências será mantido durante todo o período da paralisação. Ficando restrito a suspensão das atividades a todos os serviços eletivos, ambulatórios e postos vinculados ao Estratégia de Saúde da Família (ESF). Todos os serviços adiados podem ser reagendados para os próximos dias. 

Os profissionais estão insatisfação em relação às negociações, com a Secretaria de Saúde, no que diz respeito ao descumprimento do Termo de Compromisso, firmado no mês de janeiro passado. Entre os  pontos relevantes destacam-se: ações que melhorem a segurança dentro das unidades de saúde, abastecimento de insumos e maior investimento em medicamentos, especialmente, na área de saúde mental. A categoria  cobrou também que a questão remuneratória, através da Lei de Incorporação da Gratificação de Plantão e a equiparação salarial para com o Estado) seja de fato cumprida pela gestão do Recife.

O presidente do Simepe, Tadeu Calheiros, disse que a categoria tomou essa decisão, por conta da insatisfação existente em toda rede de saúde do Recife, com a insegurança (invasões, furtos, roubos, assaltos à mão armada) nas unidades de saúde, a falta de abastecimento medicamentos e insumos, o que provoca desassistência à população, além de estruturas físicas precárias nos postos de saúde e  maternidades. E acrescentou: “A questão mais relevante é o fato do descumprimento  do Termo de Compromisso, por parte da Prefeitura do Recife. Lembramos que esse movimento vem sendo deflagrado desde 2017, onde os médicos vinham alertando, através de paralisações de advertências na rede municipal. A gestão da saúde do Recife quebrou a  confiança com a categoria”, pontuou.

Uma nova AGE da categoria está marcada para a próxima quinta (20), a partir das 10h, com possibilidade de deliberação de uma greve por tempo indeterminado, caso a Prefeitura do Recife não apresente uma proposta que traga avanços para toda a rede de saúde municipal e para os profissionais.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.