Crime Polícia reconstitui assassinato do médico Denirson Paes nesta manhã Nove peritos estarão trabalhando para entender como se deu o crime que ocorreu no final de maio, em um condomínio de luxo em Aldeia

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/09/2018 10:39 Atualizado em: 14/09/2018 10:46

Foto: Reprodução/Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)
Foto: Reprodução/Facebook
A Polícia Científica irá reconstituir o assassinato do médico cardiologista Denirson Paes, de 54 anos, na manhã de hoje. Nove peritos estarão trabalhando para entender como se deu o crime que ocorreu no final de maio, em um condomínio de luxo em Aldeia, no município de Camaragibe.

Presos desde o dia 5 de julho por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver, a esposa da vítima, Jussara Rodrigues, 55 anos, e o filho do casal, Danilo Paes, 23 anos Paes, 23 anos, estão prestando depoimento desde às 8h30, na delegacia de Camaragibe. Ao chegar, Danilo apenas pediu: "Deixe-me em paz. Deixe minha vida em paz, por favor". Ele está recolhido no Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everaldo Luna (Cotel), em Abreu e Lima. Jussara está detida na Colônia Penal Feminina Bom Pastor, no bairro da Ipatinga. Após as ouvidas, os dois devem seguir escoltados até o local do crime. 

Eles estão sendo ouvidos separadamente. De acordo com a Polícia Civil, eles não irão entrar em contato. A conclusão da reconstituição deve sair em 30 dias e serve para esclarecer o envolvimento dos dois acusados. No dia 3 de setembro Jussara confessou ter matado o marido durante depoimento dado à delegada responsável pelo caso, Carmen Lúcia. 

No dia 4 de julho foram encontrados os primeiros restos mortais de Denirson no poço do condomínio. No dia 20 de junho que Jussara havia registrado Boletim de Ocorrência informando que o marido havia viajado para o exterior e não havia voltado. Desde então, a Polícia Civil começou a investigar o caso através de um mandado de busca e apreensão na residência da vítima. No dia 5 de julho foram cumpridos os mandados de prisão temporária. Em agosto, o Instituto Médico Legal (IML) constatou que o médico foi morto por esganadura e as investigações apontaram como motivação para o crime uma relação extraconjugal mantida por Denirson. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.