DP NOS BAIRROS Casa Amarela: um bairro tomado pela fé e devoção Cercado pelo azul e branco, em homenagem à Nossa Senhora, o Morro da Conceição, na Zona Norte, é celeiro de histórias de superação e lições de vida

Por: Mabson Rodrigues - Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/09/2018 08:17 Atualizado em: 14/09/2018 08:29

Romildo vende esculturas da santa e itens religiosos ao lado do santuário. Foto: Leo Malafaia/Esp.DP
Romildo vende esculturas da santa e itens religiosos ao lado do santuário. Foto: Leo Malafaia/Esp.DP

O Morro da Conceição, que já foi o coração do bairro de Casa Amarela, é uma das localidades mais visitadas da capital pernambucana por causa da sua tradição e do contexto histórico. Trata-se de um reduto de demonstrações de fé e devoção à Nossa Senhora da Conceição. Tomado pelas cores azul e branca em homenagem à santa, o bairro é celeiro de histórias, lições de vida e de superação.

Morador do bairro há mais de 60 anos, o comerciante Romildo Paulino da Silva traz, estampado no rosto, os sinais de muitos anos de trabalho dedicados ao bairro. O pernambucano conheceu a área histórica ainda garoto e hoje, aos 69 anos, é o proprietário do principal fiteiro de artigos religiosos da região. Para Seu Romildo, morar no Morro da Conceição ainda rende alegrias e momentos emocionantes. “Eu conheço esse lugar como a palma da minha mão. Já passei por muita coisa boa nessa terra, que só de lembrar eu fico emocionado. Certa vez, eu estava viajando e sofri um acidente de carro. Na hora, veio a imagem do Santuário à minha mente, eu frente a frente com Nossa Senhora. Tenho plena convicção que foi isso que me salvou”, disse.

Terços estão ao pé da imagem da santa e nas barracas. Foto: Leo Malafaia/Esp.DP
Terços estão ao pé da imagem da santa e nas barracas. Foto: Leo Malafaia/Esp.DP


O vendedor de esculturas é figura conhecida pelos moradores do Morro. “Morar ao lado do Santuário, pra mim, é uma das minhas maiores riquezas. Se depender de mim, eu nunca vou me mudar daqui. A simplicidade dessa área me encanta todos os dias. Você sente uma brisa gostosa por estar aqui no alto, se sente acolhido pelo companheirismo da população e, o melhor de tudo, protegido pela presença da Imaculada aqui bem pertinho da gente”, comemora.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.