Encontro Mulheres negras debatem seus direitos neste final de semana Hoje, às 19h, tem palestra aberta ao público para falar sobre o tema, no Sindicato dos Bancários

Publicado em: 13/09/2018 19:49 Atualizado em:


Após um hiato de trinta anos, acontece o II Encontro Nacional de Mulheres Negras. Será em dezembro, em Goiás, em um dos momentos mais críticos vividos no país do ponto de vista da perda de direitos. Antes do evento, integrantes de coletivos do movimento negro e de mulheres participam de três dias de discussão em Pernambuco para afinar os debates que serão levados para aquele estado.

O encontro começa nesta sexta-feira e segue até domingo. O primeiro dia é aberto ao público em geral. A ideia é convidar a sociedade civil para analisar a conjuntura sobre o espaço das mulheres negras ao longo da história em Pernambuco e no Brasil. Acontece no Sindicato dos Bancários, na Avenida Manoel Borba, na Boa Vista, às 19h. Entre as convidadas desta sexta-feira estão Denise Botelho, Rivane Arantes, Robeyoncé Lima, Gilamara Santana e Aparecida Nascimento. A mediação será de Rosa Marques, socióloga e representante de Pernambuco na organização do evento nacional.

Já os outros dois dias serão destinados às mulheres negras que vêm participando das discussões há dois meses construídas por integrantes de 47 coletivos e instituições do movimento negro, de mulheres e outros que se solidarizam com as demandas dessa população. “Para a gente é importante fazer essa ligação entre mulheres com a pauta racial porque as negras estão na base da pirâmide da sociedade e a gente vem sofrendo com cortes que o estado vem fazendo. Carregamos a sociedade nas costas. Falar das mulheres negras é falar da estrutura da sociedade. Pensar a conjuntura política atual é fundamental, em como estamos inseridas nos espaços, como estamos com nossos direitos na saúde, no trabalho e nas políticas públicas. Perdemos vários ao longo dos anos”, diz Adriana Mendes, educadora popular e integrante do Coletivo Cabelaço – Pernambuco.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.