Vida Urbana

Assassinato do médico teria sido motivado por uma relação extraconjugal

Peritos afirmam que ele foi morto por asfixia e depois teve o corpo esquartejado em três partes

Polícia Civil apresentou resultado da investigação nesta sexta. Foto: Divulgação/PCPE

O assassinato do médico Denirson Paes, 54 anos, foi motivado por ciúmes, devido a um relacionamento extraconjugal e questões financeiras. A conclusão foi anunciada na manhã desta sexta (31) pela Polícia Civil de Pernambuco. A Polícia descobriu que a principal suspeita do homicídio, a esposa do médico, a fisioterapeuta Jussara Rodrigues, 54, encontrou na véspera do assassinato, fotos de uma mulher com quem Dernison mantinha um relacionamento desde 2009. Além de Jussara, o filho mais velho do casal, Danilo Rodrigues Paes, 23, também foi inidiciado por homicídio triplamente qualificado. 

A Polícia não tem dúvidas de que Jussara matou o marido por não se conformar com o fim do casamento. A mulher com quem Dernison manteve um relacionamento nos últimos cinco anos foi localizada e ouvida no inquérito policial. Ela contou aos investigadores que conheceu o médico em 2007 uma consulta em seu consultório. Mas, após descobrir que ele era casado, teria se afastado do cardiologista, retomando a relação em 2013, quando Denirson a procurou alegando não estar vivendo mais com Jussara.

Peritos que examinaram celular e notebook do médico descobriram que no dia 30 de maio, horas antes do crime, Jussara teria feito um downlownd da fotos da mulher que se relacionava com o marido. No mesmo dia, meia hora após o acesso à foto, o médico cancelou a viagem que faria com Jussara, programada para o dia 2 de junho, para os Estados Unidos. 

Segundo a gestora da Polícia Científica, Sandra Santos, a perícia com o luminol foi fundamental para definir o local onde o corpo do médico sofreu o esquartejamento. De acordo com a perícia, Denirson foi morto na cama, por estrangulamento. Depois, levado para um corredor, onde teve três partes do corpo serradas em três pontos de vértebras. O perito criminal, Fernando Benevides, explicou que pela estatura físíca, a vítima foi morta pelo filho, já que Jussara sozinha não conseguiria executar o crime. 

Durante a apresentação do resultado do inquérito nesta sexta, a Polícia também divulgou um audio gravado por Daniel espontaneamente na cadeia com os policiais. No diálogo, o rapaz afirma que não matou o pai e implora para que a mãe assuma o crime. "Ou ela assume ou a desgraça será completa. Eu preciso de minha vida de volta. Quero que tudo se esclareça. Eu disse 100% a verdade. Eu quero minha vida de volta", diz o rapaz já chorando. 

Leia a notícia no Diario de Pernambuco
Loading ...