Solidariedade Campanha de captação de doadores de medula óssea acontece nesta terça no Espinheiro Para ser doador de medula óssea, é preciso ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde

Publicado em: 27/08/2018 17:40 Atualizado em: 27/08/2018 17:57

Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Foto: Alexandre Carvalho/A2img.
Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Foto: Alexandre Carvalho/A2img.

O Dia Nacional do Voluntariado será comemorado nesta terça-feira (28) no Colégio Saber Viver, no bairro do Espinheiro, Zona Norte do Recife, com uma campanha solidária para encontrar doadores compatíveis para pessoas que precisam de transplante de medula óssea. A ação será realizada em parceria com a Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco (Hemope). A entidade fará o cadastro de pessoas interessadas no banco nacional de doadores de medula óssea.

Para ser doador de medula óssea, é preciso ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante). Os participantes da campanha precisam ainda apresentar RG e CPF originais.

A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às atividades habituais após a primeira semana.

Passo a passo para se tornar um doador

Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, e se recompõe em apenas 15 dias

Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente

Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante

Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação

Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor

A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de uma em cem mil. Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar

Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação

Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte

É muito importante que sejam mantidos atualizados os dados cadastrais para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato

Fonte: Inca

Serviço:
Campanha de cadastro de doadores de medula óssea
Dia: 28 de agosto (terça-feira)
Horário: das 7h às 15h
Local: Colégio Saber Viver Unidade 1 - Avenida João de Barros, 1563, Espinheiro



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.