Investigação Família de garoto encontrado enforcado no quintal de casa presta depoimento à Polícia Um celular e um tablet usado pela criança foi apreendido pela Polícia para esclarecer se a morte do menino foi motivada por um desafio na Internet

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 22/08/2018 13:19 Atualizado em: 22/08/2018 13:26

Os pais do garoto de nove anos, encontrado morto com um fio no pescoço no quintal de casa, no bairro do Cordeiro, na semana passada, prestaram depoimento na manhã desta quarta-feira (22), no Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA), na Madalena. Há suspeitas de que o menino possa ter sido vítima de uma brincadeira divulgada na Internet, que faz um desafio de sufocamento, conhecido como Boneca Momo. A Polícia já encaminhou o telefone celular e o tablet que a criança usava para perícia. Somente, após a análise dos equipamentos, a Polícia poderá confirmar a causa da morte. 

Pai, mãe e outras duas testemunhas prestaram depoimento à delegada Thais Galba. A mãe estava muito abalada. Depois de quase duas horas de interrogatório, ela saiu da sala, chorando e fez um alerta para outras famílias. "Estou aqui para relatar o que aconteceu e alertar todas as mães o que estou passando por conta desses jogos", disse a dona de casa. Segundo ela, uma vez o filho teria mostrado seu tablet com o jogo, mas falou que não sabia do que se tratava. 

O menino foi encontrado pela mãe na noite da quinta-feira passada (16), no quintal da casa, onde morava no bairro do Cordeiro. O garoto chegou a ser socorrido, mas não resistiu e acabou falecendo. A delegada Thais Galba aproveitou para fazer um alerta aos pais spobre uso de celulares por crianças e adolescentes. "Não só apenas por fiscalizar, mas é preciso acompanhar", disse. A delegada informou que quando os aparelhos foram apreendidos, os jogos não estavam facilmente acessíveis. "Apreedemos os aparelhos para perícia. Então só podemos afirmar que a morte foi motivada pelo desafio", acrescentou. 

A delegada ressaltou ainda que deverá ouvir outras testemunhas. Também está aguardando a perícia do Instituto de Criminalística após a morte, que verificou a estrutura da casa para tentar rememorar como tudo ocorreu. E ainda aguardar a perícia tanatoscópica do Instituto de Medicina Legal, que identificará as causas do óbito. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.