Samaritanos Através de vaquinha virtual, mutirão ajuda moradores de rua do Recife O evento abre a Semana de Luta por Direitos da Pop Rua, ação articulada pelo Comitê Pop Rua do Recife, com o apoio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social

Publicado em: 19/08/2018 15:01 Atualizado em: 19/08/2018 16:59

 Outro diferencial desta edição é que ela foi financiada através de uma %u201Cvaquinha virtual%u201D ou crouwfounding, no qual a ONG Samaritanos conseguiu arrecadar R$ 6 mil Crédito: Thatiana Pimentel/DP
Outro diferencial desta edição é que ela foi financiada através de uma %u201Cvaquinha virtual%u201D ou crouwfounding, no qual a ONG Samaritanos conseguiu arrecadar R$ 6 mil Crédito: Thatiana Pimentel/DP

O recifense Paulo José da Silva, 47 anos, morador de rua, estava há quatro dias sem tomar banho até encontrar o mutirão do projeto Ventura do grupo Samaritanos que esteve na Praça do Arsenal neste domingo. No encontro, que está em sua quinta edição, foram distribuídas refeições pelos parceiros Pão Nosso de Cada Noite e Sabor Solidário, houve emissão de documentos através do projeto Resgatando Cidadania, da Secretária de Defesa Social e da Defensoria Pública do Estado, atendimento de saúde e ainda o Banho do Bem, da ONG Recife do Bem, onde uma estrutura de banheiros foi montada e onde Paulo José, morador de rua, conseguiu cuidar da sua higiene. Assim como Paulo, mais 400 pessoas estiveram presentes, num recorde do projeto, que deverá se repetir em novembro. Outro diferencial desta edição é que ela foi financiada através de uma “vaquinha virtual” ou crouwfounding, no qual a ONG Samaritanos conseguiu arrecadar R$ 6 mil.

“A gente se surpreendeu com o resultado da arrecadação e com a quantidade de gente que veio. Acredito que isso é reflexo da credibilidade do trabalho da ONG. Só nesta edição estamos em 120 voluntários. A gente está aqui não apenas dando comida, a gente quer conhecer esses moradores de rua, olhar no olho e ajudá-los a melhorar suas vidas”, afirma Maria Eduarda Carneiro, 22 anos, uma das coordenadoras da Samaritanos. Estudante de direito, ela própria considera que a ONG mudou sua vida. “Comecei a ajudar em 2016 com a entrega de quentinhas nas ruas do Recife. A gente faz isso semanalmente, tanto na Zona Norte quanto na Zona Sul e entregamos uma média de 285 marmitas. Qualquer pessoa pode participar como voluntário e foi assim que eu conheci a Samaritanos. Só que o trabalho me tocou e acabei me apaixonando”, detalha.

O evento abre a Semana de Luta por Direitos da Pop Rua, ação articulada pelo Comitê Pop Rua do Recife, com o apoio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Secretaria Municipal de Saúde e o Movimento Nacional de População de Rua. Na programação, dentre vários serviços e atendimentos, destaca-se a realização do II Seminário do Comitê Pop Rua do Recife, neste segunda-feira (20) e terça (21) na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). O encontro tem como objetivo central a troca de experiências entre poder público e a sociedade civil na promoção de cidadania das pessoas em situação de rua. 

O grupo Samaritanos foi idealizado no final de 2015, por 14 jovens da Paróquia de Casa Forte, no Recife, com o intuito de mostrar que o amor ao próximo pode trazer mudanças efetivas na vida de moradores de rua. Além desse e do Ventura, o Samaritanos ainda realiza outras atividades, como o Banco de Currículos, que reúne dados de pessoas aptas para serem empregadas e o "Samaricão", para atender aos animais que fazem companhia a pessoas em condições vulneráveis oferecendo vacinação e castração. Para ajudar, o contato pode ser feito através do instagram: @samaritanos.recife.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.