Família Após seis anos de espera, pai comemora guarda definitiva de filho adotivo Deus preparou Felipe para ser meu filho, disse Willamy com o registro de nascimento do filho em mãos

Por: Samuel Calado - Redes Sociais

Publicado em: 13/08/2018 19:39 Atualizado em: 13/08/2018 20:08

Foto: WhatsApp/Cortesia
Foto: WhatsApp/Cortesia

“Deus preparou Felipe para ser meu filho. É por ele que eu batalho. É por ele que eu sonho”. foi com essas palavras que o gestor público Willamy Charles Feitosa, de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco, descreveu a emoção de conquistar, após seis anos, a adoção do pequeno Felipe Feitosa.

A história começou em 2011, quando ainda estava casado com a servidora pública Angrisei Eugénia Lima. O casal sempre teve o sonho de adotar um bebê. Na época, eles participavam do programa de apadrinhamento “Anjos da Guarda”, promovido pelo Tribunal de Justiça em parceria com o Conselho Tutelar do município. Em dezembro daquele ano, a casa de passagem Maristela Monteiro, no bairro da Bela Vista, precisou suspender as atividades para o Natal e encaminhou as crianças os seus respectivos lares. Eles se responsabilizaram em levar o pequeno Felipe, que estava com um ano e seis meses, para passar a temporada.

Foto: WhatsApp/Cortesia
Foto: WhatsApp/Cortesia

Na época, o menino precisava de cuidados especiais devido a intolerância à lactose. Após se comprometer em cuidar do garoto durante aquele período, o casal decidiu fazer um passeio para a casa da família na mesma cidade. O pai recorda da primeira vez que a criança tomou um banho de piscina, quando estavam com a guarda provisória do menino. “Ele sorria tanto, mas tanto que chorei só de vê-lo feliz. Percebi naquele momento que ser pai é o maior presente que Deus pode nos dar”, contou.

A viagem durou 15 dias e a partir daí, os dois iniciaram um longo processo para a adoção definitiva. No tempo de seis meses, juntaram todos os documentos necessários e deram entrada na solicitação de guarda. “Sabíamos que seria um processo burocrático e a cada dia que passava, encontrávamos mais força para seguir lutando”, disse o pai.

 Nesse período judicial, o casal continuou prestando assistência ao Felipe na instituição. “Nossa maior preocupação era com a saúde dele, já que tinha uma imunidade baixa e adoecia bastante. Procuramos vários profissionais para melhorar a qualidade de vida dele. Hoje meu filho é uma criança feliz”, afirmou.

Foto: WhatsApp/Cortesia
Foto: WhatsApp/Cortesia

A notícia tão esperada chegou no início deste ano: a guarda foi concedida. Agora, oficialmente, a família estava completa. “Quando a certidão de nascimento chegou na minha mão passei horas chorando”, revelou. Mesmo não estando mais juntos, o casal mantém um forte laço afetivo, principalmente quando o assunto é cuidar do filho. "Às vezes a gente dá prioridade às coisas materiais, mas não dá ao próximo. Felipe é o que nos une. Ele é quem nos dá força de vontade para continuar caminhando. Agradecemos todos os dias a Deus por ele ter chegado em nossas vidas, disse a mãe. Hoje a guarda do garoto é compartilhada.

No último domingo (12), pai e filho celebraram juntos o primeiro Dia dos Pais após a oficialização da guarda. Eles foram à praia de São José da Coroa Grande, no Litoral Sul do estado. Emocionado, Willamy ressaltou: “Não há alegria maior que ter um filho. Sou grato por ser pai. “O que eu digo aos que estão passando pelo mesmo processo que passamos  é que não desistam. Existem milhares de pessoas precisando de um abraço, de um apoio e de um amigo”, relatou.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.