Médicos Cremepe elege nova diretoria nesta terça e quarta As urnas estão espalhadas por diversos hospitais e entidades ligadas à categoria na Região Metropolitana do Recife e no Interior do estado

Publicado em: 07/08/2018 08:56 Atualizado em: 07/08/2018 09:52

Foto: Google Street View (Ago/2016)
Foto: Google Street View (Ago/2016)
O Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) faz eleição nesta terça-feira (7) para a gestão 2018-2023. As eleições acontecem até amanhã (8), das 8h às 20h, e as urnas estão espalhadas por diversos hospitais e entidades ligadas à categoria na Região Metropolitana do Recife e no Interior do estado. Duas chapas estão na disputa. As eleições serão realizadas por voto direto e secreto. De acordo com a Resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) nº 2161/2017, o voto é obrigatório para todos os médicos que devem estar adimplentes no respectivo conselho regional.

Cada chapa é formada por 40 conselheiros, sendo 20 efetivos e 20 suplentes. Não existe candidatura para presidência do Cremepe. A chapa vencedora elegerá o presidente entre os 40 novos conselheiros que vão compor a entidade. Ainda de acordo com a Resolução do CFM, somente serão considerados válidos os votos dos médicos que estiverem quites com o Cremepe.

Será possível votar presencialmente ou por correspondência, sendo que os votos por correspondência só serão contabilizados se chegarem até as 18h do dia 8 de agosto na sede do Cremepe, no Espinheiro. Os médicos aptos à votação poderão conferir sua situação eleitoral no site eleicoes.cremepe.org.br. A chapa 1, que está concorrendo sob o lema Ética em Respeito ao Médico, tem 50% dos candidatos atuantes como conselheiros da atual gestão e os outros 50% dessa mesma chapa são renovação, ou seja, são médicos que não fazem parte da atual gestão.

Segundo o médico ortopedista Mário Jorge Lobo, um dos coordenadores dessa chapa, o grupo é formado por integrantes de entidades médicas do estado e setores representativos da categoria, como a Associação Médica Pernambucana, o Sindicato dos Médicos de Pernambuco e sociedades de especialidades. O médico pontua que os princípios fundamentais defendidos pela chapa são a defesa dos direitos do médico para a boa prática da medicina, a ampliação e o fortalecimento da fiscalização das condições do trabalho do médico, a promoção e a cobrança da aplicação das determinações do Cremepe no âmbito da saúde pública e privada, além da descentralização e expansão da representação e atuação do conselho no estado de Pernambuco.

“Temos que atuar dando condições para os médicos, evitando o dano e a prevenção do erro médico para que o profissional trabalhe com aquilo que ele foi formado para fazer. Para que a população seja bem atendida e tenha a sua saúde preservada. Por isso temos como foco o processo de expansão e interiorização do Cremepe, levando as delegacias regionais para todas as 12 Gerências Regionais do estado, porque hoje só temos três. Isso será possível através da realização de concurso para médicos fiscais, que vão atuar nessas regiões”, detalha Mário Jorge Lobo. 

A atual gestão, que está representada pela chapa 1, realizou 229 fiscalizações em 2017. Sob o lema Mudar e Agir, a chapa 2 se apresenta com uma equipe de candidatos a conselheiros 100% renovada, segundo o representante, o médico oftalmologista Antônio Jordão. Oito deles representam a categoria que trabalha no interior do estado. Entre as propostas, está a atuação preventiva do Cremepe na proteção do médico e da sociedade, redução da anuidade e taxas junto ao conselho, fim da bitributação e anuidade única para os profissionais que atuam nas fronteiras dos estados.

A chapa 2 também defende a criação do CRM Júnior, comissão formada por médicos do Cremepe e representantes estudantis para orientação dos futuros médicos quanto à profissão. “É preciso mudar as pessoas que estão atuando como conselheiros da entidade, alguns núcleos estão há mais de 20 anos. Eles perderam a capacidade criativa da ousadia. Em cinco anos, não houve nenhuma ação do Cremepe além de punir médicos. Nossa categoria está cheia de retrocessos, só tivemos perdas e nossa principal proposta é justamente de voltar a ter protagonismo. Precisamos trabalhar com fiscalização preventiva, fazendo com que o Cremepe esteja mais perto do médico e da medicina, porque quando detectamos os problemas existentes cedo, evitamos que o médico vá para o banco dos réus. Queremos trazer o Cremepe para mais próximo do médico, através de um plantão telefônico 24 horas, para que o profissional possa ter suporte dos conselheiros diante de questões éticas a qualquer momento”, afirma o médico Antônio Jordão. A chapa 2 também traz como propostas a criação do aplicativo Cremepe na Mão, para contato com os médicos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.