Mobilidade Ônibus da RMR terão biometria facial Equipamentos começarão a ser instalados ainda neste ano em todos os 2,9 mil veículos do sistema, para serem usados por passageiros com gratuidade

Por: Anamaria Nascimento

Publicado em: 03/08/2018 08:42 Atualizado em: 03/08/2018 21:16

Nova tecnologia de reconhecimento deverá se tornar uma aliada do setor reodoviário no combate às fraudes. Foto: Agência Brasil
Nova tecnologia de reconhecimento deverá se tornar uma aliada do setor reodoviário no combate às fraudes. Foto: Agência Brasil

O equipamento que faz o reconhecimento digital dos passageiros com gratuidade nos ônibus será substituído por uma tecnologia mais precisa no Grande Recife. A biometria facial será obrigatória nos coletivos em breve. O prazo para o início do funcionamento das câmeras que vão reconhecer os rostos dos usuários ainda não foi definido, mas os equipamentos começarão a ser instalados ainda neste ano em todos os 2,9 mil veículos que circulam pela Região Metropolitana.

Em meio à discussão sobre os altos custos do transporte público no país e sobre como a tecnologia pode ajudar na bilhetagem, durante o Seminário da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), que aconteceu até ontem em São Paulo, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) confirmou a aquisição de um novo modelo de validador de acesso aos ônibus. A nova tecnologia será aliada do setor rodoviário urbano no combate a fraudes. Em Brasília, por exemplo, onde a biometria facial foi instalada em 2017, 2,2 mil golpes em passe livre foram identificados. 

Para evitar burlas ao sistema, o equipamento fotografa o passageiro assim que ele entra no ônibus. Ao todo, são tiradas seis fotografias. Quando o cartão passa no validador, o sistema identifica o dono e compara as imagens tiradas no coletivo com a foto do cadastro.

Caso a fraude seja constatada, o cartão é bloqueado. Uma notificação pode ser enviada ao Grande Recife Consórcio de Transportes. A partir do aviso, os usuários terão que procurar o órgão para dar explicações e apresentar defesa. Um processo administrativo pode ser aberto contra quem usar a gratuidade ilicitamente. Será possível ainda registrar boletim de ocorrência na Polícia Civil.

Características
A biometria facial é uma tecnologia para avaliação das características do rosto de uma pessoa por meio de parâmetros digitais. De acordo com a Prodata, empresa que desenvolveu o equipamento que será instalado nos ônibus do Grande Recife, a face humana tem variáveis que permitem detectar pontos em comum, como distâncias entre os olhos, formato e comprimento do nariz, boca, bochecha e queixo, definindo o formato facial e as medidas que serão usadas como fatores de checagem.

O algoritmo de reconhecimento facial é capaz ainda de comparar duas capturas e aferir a probabilidade de similitude, ignorando o plano de fundo que compõe o arquivo. Isso inclui capturas em movimento e de ângulos diferentes. “Nesse segundo semestre, vamos começar a entrega desses novos produtos. São novos equipamentos com tecnologia que prevê maior velocidade de comunicação e maior eficiência do serviço”, afirmou o diretor da Prodata, Leonardo Ceragioli.

As máquinas que atualmente são usadas nos ônibus do Grande Recife foram instaladas em 2009, mas correspondem a uma tecnologia de 2003. Desde então, cinco gerações com diferentes atualizações foram lançadas. Já os novos equipamentos contarão com a tecnologia mais recente, já usada em cidades como Santos (SP) e Maceió (AL). A biometria facial se tornou realidade no país em 2013, quando Fortaleza (CE) e Cascavel (SC) começaram a usar a verificação por reconhecimento facial.

Dispositivo facilitará a recarga de passagens

Além de permitir a biometria facial, os novos equipamentos instalados nos 2,9 mil ônibus que circulam pela Região Metropolitana do Recife permitirão que os usuários façam recargas no cartão VEM no próprio coletivo. Para isso, o passageiro precisa ter um dos aplicativos que permitem a compra de crédito no smartphone: CittaMobi ou Ponto Certo. Ele poderá adquirir o crédito e, depois de três minutos aproximadamente, passar o cartão no validador. O valor já estará disponível no bilhete eletrônico. Até então, depois de fazer a compra em um dos apps, o usuário precisava se deslocar a um dos 2 mil pontos de autoatendimento do VEM, como terminais integrados ou shoppings, por exemplo. 

Ainda este ano, essa rede deve ser ampliada, com a inclusão de pontos do Pernambuco dá Sorte como postos de abastecimento. A única restrição é que esse tipo de recarga só pode ser feita por quem tem cartão de crédito ou débito (modalidades de pagamento pelo aplicativo). Essa facilidade será permitida pela maior capacidade de armazenamento das novas máquinas.

Como há espaço para chip de celular, que permite um maior armazenamento de listas de recarga. Atualmente, o VEM Trabalhador já é abastecido nos ônibus, mas o prazo entre o pagamento e a liberação dos créditos é de dois dias. A recarga por meio dos aplicativos é bastante usada por quem tem o VEM Comum. Funcionando desde dezembro de 2010, ele é destinado a quem não possui outras modalidades do bilhete eletrônico (VEM Estudante, VEM Trabalhador, VEM Livre Acesso) e prefere ter mais segurança para não andar com dinheiro.

Atualmente, cerca de 23% (abaixo da média nacional, que é de 30%) dos passageiros do Grande Recife ainda pagam passagem em espécie, taxa que deve baixar quando a nova modalidade de recarga entrar em vigor.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.