Patrimônio Após oito anos de reforma, Forte Orange é reaberto ao público nesta sexta-feira Até o momento, o acesso ao forte é gratuito, das 9h às 17h

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 27/07/2018 20:59 Atualizado em: 27/07/2018 21:14

O espaço estava em reforma desde 2010. Foto: Diogo Carvalho/Divulgação
O espaço estava em reforma desde 2010. Foto: Diogo Carvalho/Divulgação

Os moradores da Ilha de Itamaracá, na Região Metropolitana do Recife, comemoraram a entrega do Forte Orange nesta sexta-feira (27). A fortaleza do século 17 estava em reforma há quase 10 anos. A celebração contou com a presença da Rainha da Ciranda, Lia de Itamaracá. 

O Forte foi inaugurado  em 1631 pelos holandeses e reconstruído pelos portugueses em 1696. Em 2010, após apresentar uma série de problemas em sua infraestrutura, o espaço precisou passar por uma restauração que custou aproximadamente R$ 11 milhões e durou quase 10 anos. A obra contou com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) pelo Programa de Desenvolvimento do Turismo, numa parceria do Iphan com a Secretaria de Turismo, Cultura, Esportes e Lazer de Pernambuco. O local era um dos principais destinos dos turistas que vinham conhecer a parte histórica de Pernambuco. 

A cantora Lia de Itamaracá esteve presente na celebração de reinauguração do Forte. Foto: Diogo Carvalho/Divulgação
A cantora Lia de Itamaracá esteve presente na celebração de reinauguração do Forte. Foto: Diogo Carvalho/Divulgação

Nas várias salas revitalizadas existe uma série de objetos em exposição. O mais novo deles é a estátua gigante de madeira de  Jozé Amaro de Souza, conhecido como "o guardião do forte". As pessoas também podem conferir os achados arqueológicos como a porta de entrada do forte de 1631, achada debaixo de mais de 1,2 mil toneladas de areia. 

O filho de Jozé Amaro, Sol Esoje de Souza, foi o que mais pressionou o poder público para que a obra fosse concluída. "Tive a ajuda de produtores culturais, como Maria do Céu, para fazer frente junto ao Iphan e tornar esse sonho uma realidade. Agora, precisamos preservá-lo". 

A festa encerrou com apresentação da coquista Anginha do Coco, um dos símbolos vivos da ilha. No próximo dia 02 de agosto haverá a comemoração do aniversário de 90 anos de Anginha com a presença de representantes do Consulado da Holanda, do Iphan e do governo do estado. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.