MOBILIDADE PCR anuncia obras na II Perimetral Primeira etapa começa na segunda-feira mas não há previsão para conclusão total dos serviços, com valor de R$ 249,89 milhões, financiados pelo FGTS.

Publicado em: 26/07/2018 21:34 Atualizado em:

Recursos da ordem de R$ 249,8 milhões serão investidos pela Prefeitura do Recife (PCR), através da Autarquia de Urbanização do Recife (URB), no projeto de Requalificação da II Perimetral, uma das principais rotas viárias de transporte coletivo entre as Zonas Norte e Sul da Capital. As obras terão financiamento do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica Federal (Caixa) enquanto a PCR entrará com uma contrapartida de R$ 65 milhões. 

Os trabalhos, divididos em quatro trechos, unirão os rios Tejipió e o Beberibe, numa extensão de 20 quilômetros, indo até a divisa com Olinda. Segundo o presidente da URB, João Alberto Faria, parte da primeira etapa licitada, a um custo de R$ 37 milhões, começa na próxima segunda-feira, com prazo de conclusão de 90 dias. O titular da autarquia afirmou que a programação das obras se inicia com os serviços de substituição e implantação da rede de drenagem em aproximadamente cinco quilômetros de área, a partir do cruzamento da Avenida Engenheiro Abdias de Cavalho com a Estrada dos Remédios, até a Ponte Governador Cordeiro de Farias, retornando ao ponto inicial pelas ruas José Bonifácio, Real da Torre e João Ivo da Silva. 

João Alberto Faria assegurou ainda que na primeira fase a ser entregue à população em janeiro de 2019 estão incluídos, também, a requalificação de dez quilômetros de calçadas dentro das normas de acessibilidade, a melhoria da pavimentação das vias e reforço nas placas de concreto, implantação de 11 novos pontos de ônibus, 1,4 quilômetro de ciclofaixa nas vias secundárias e ainda a implantação de iluminação pública em LED. 

Pelo cronograma apresentado ontem, durante entrevista coletiva, o presidente da URB informou também que para viabilizar os serviços, a partir de segunda-feira a Rua Marcos André, no trecho entre a Avenida Beira Rio e a Rua José Bonifácio, passará a ter sentido único de circulação de veículos. Enquanto isso, a Rua dos Operários terá o seu sentido de circulação invertido, permitindo aos condutores outra opção de acesso à Rua José Bonifácio. Ele assegurou que durante a execução dos trabalhos, os moradores da área interditada terão acesso garantido às suas residências e que a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) montará um esquema para minimizar os efeitos do tráfego, principalmente os engarrafamentos. “O processo será acompanhado por todos os agentes públicos envolvidos nessas mudanças”, afirmou. 

“Estamos às voltas com uma obra muito importante para a cidade do Recife, até porque ela dimensiona o tratamento que vamos dispensar à II Perimetral, com um investimento bastante expressivo, pois é preciso entregar à população um trabalho que tenha durabilidade", disse João Alberto Faria. "No nosso entendimento as intervenções que precisamos empreender no sentido de melhorias da mobilidade e acessibilidade para a população, são muitas, o que justifica os propósitos da Prefeitura que, na nossa visão, vão na contra-mão do que estamos vivendo no Brasil, considerando a crise enfrentada por muitos gestores. É importante esclarecer que o financiamento a ser pago pelo município, ao Governo Federal é de R$ 185 milhões”, destacou. 

Segundo o presidente da URB, “o projeto completo da Nova II Perimetral contempla a requalificação do corredor desde as Pontes Mocotolombó, em Afogados e Gilberto Freyre, na Imbiribeira, até a divisa entre o Recife e Olinda, garantindo a conectividade entre os corredores viários e a integração entre os diversos modais de transporte. O valor total dos 
serviços é de R$ 249.893.297,60, financiado pelo Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), mas não há previsão para conclusão da obra como um todo. Temos certeza de que a execução desses serviços vai mudar a vida da população.” 

Na opinião da presidente da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), Taciana Ferreira, “a idéia é de uma requalificação geral, para melhoria da mobilidade e acessibilidade da população. Não temos dúvidas de que as obras trarão um ganho para o pedestre, vai mudar e melhorar a vida dos usuários do transporte coletivo, em função do que será feito com a construção das paradas de ônibus, vai expandir uma malha já existente e ainda fortalecerá as ligações entre os bairros.”


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.